Espiritualidade

A Família, um destaque constante no pastoreio de Francisco

Padre Rosivaldo Antônio Motta, C.Ss.R. (Arquivo pessoal)

Escrito por Padre Rosivaldo Antônio Motta, C.Ss.R.

09 NOV 2021 - 15H27 (Atualizada em 09 NOV 2021 - 15H52)

Shutterstock

Estamos vivendo o “Ano da Família”, iniciado no dia 19 de março, na solenidade de São José, com encerramento definido para 26 de junho de 2022, quando será celebrado em Roma, o X Dia Mundial das Famílias. Esse lançamento teve como motivação o quinto aniversário de um importante documento lançado pelo Papa Francisco: “Amoris laetitia”. A sua intenção é que seja um ano de reflexão e oportunidade para aprofundar os conteúdos dessa Exortação Apostólica. Mas qual a definição de “Família” para o Papa Francisco?

No Congresso Latino-americano de Pastoral Familiar, em agosto de 2014, Francisco diz que a família “é um ‘centro de amor’, onde reina a lei do respeito e da comunhão, capaz de resistir aos ataques da manipulação e da dominação dos ‘centros de poder’ mundanos”. Falando em 2018, no Fórum das Associações Familiares o Papa define a família como “um ícone de Deus”. E complementa: “e isso é grandioso, é sagrado”.

Tendo essa convicção da família como representação divina, o Papa fala em sua grande missão: “Deixar lugar a Jesus que vem, acolher Jesus na família, na pessoa dos filhos, do marido, da esposa, dos avós... Jesus está aí. É preciso acolhê-lo ali, para que cresça espiritualmente na família”.

Leia Mais10 dicas para preparar uma novena de Natal em famíliaFamília, Santuário da Vida!Uma Igreja acolhedora sem excluir nenhuma família

Com palavras claras e objetivas, o Papa estimula e convoca toda a Igreja, especialmente os grupos de pastoral e movimentos diversos que se dedicam ao trabalho com as famílias, afirmando que “somos chamados a acompanhar, a ouvir, a abençoar o caminho das famílias; não apenas a traçar a direção, mas a fazer o caminho com elas; a entrar nas casas com discrição e com amor, para dizer aos esposos: a Igreja está com vocês, o Senhor se faz próximo de vocês, queremos ajudá-los a proteger o dom que receberam”.

Mesmo mostrando o valor do casamento como projeto de Deus e fruto da Graça, o Papa em sua acolhida não exclui nenhuma família ao referir-se à força da Palavra e o amor da Trindade: “anunciamos aos casais, aos cônjuges e às famílias uma Palavra que os ajuda a compreender o significado autêntico de sua união e de seu amor, sinal e imagem do amor trinitário e da aliança entre Cristo e a Igreja.”

Somos “guardiões da beleza da família, cuidando de sua fragilidade e suas feridas”

Thiago Leon
Thiago Leon


O Papa é um homem antenado com a realidade atual das famílias, em seus grandes desafios, diz que a Igreja conhece “de perto as fadigas diárias dos cônjuges e pais, seus problemas, seus sofrimentos, todas aquelas situações pequenas e grandes que pesam e às vezes dificultam seu caminho”.

Afirma que “os laços familiares foram e continuam sendo duramente colocados à prova, mas permanecem ao mesmo tempo o ponto de referência mais firme, o apoio mais forte, a proteção insubstituível para a estabilidade de toda a comunidade humana e social”.

Cita dois contravalores da sociedade que podem tirar a alegria das famílias: "Não procurar a alegria consumista e individualista, que só pesa no coração, mas aquela alegria que se vive em comunhão, que se partilha e se participa, porque somos mais bem-aventurados no dar do que no receber".

Uma mensagem de apoio às famílias e um pedido de Oração

Shutterstock
Shutterstock


Unindo duas intenções muito próprias para o momento, e preocupado com o contexto atual o Papa pede que “apoiemos a família! Façamos a defesa daquilo que compromete a sua beleza”; “e nos comprometamos a salvaguardar seus preciosos e delicados laços: filhos, pais, avós... Há necessidade desses laços para viver e viver bem, para tornar a humanidade mais fraterna”.

É enfático ao afirmar que “a família está ‘viva’ se estiver unida em oração”, é “’forte’ quando redescobre a Palavra de Deus, e é ‘generosa’ se permanece aberta à vida, não discrimina e serve os mais necessitados”.

Escrito por
Padre Rosivaldo Antônio Motta, C.Ss.R. (Arquivo pessoal)
Padre Rosivaldo Antônio Motta, C.Ss.R.

Missionário redentorista com bacharelado em Teologia (UCSal), pós-graduado em Comunicação e Cultura Brasileira (SEPAC-PUC/SP) e mestrado em Comunicação e Semiótica (PUC/SP).

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Carregando ...