Espiritualidade

A gratidão para o cristão: “é nosso dever e salvação”

Cankin Ma 2020 (arquivo pessoal)

Escrito por Cankin Ma Lam

13 JAN 2022 - 10H49 (Atualizada em 13 JAN 2022 - 11H05)

Gustavo Cabral/A12 missa de encerramento da 52.ª Semana Vocacional (Gustavo Cabral/A12)

Há vezes em que dizemos coisas sem perceber todo o peso que têm. Por exemplo, em Português, para expressar gratidão, dizemos "obrigado". Não se diz simplesmente "graças", mas se expressa, de alguma forma, uma obrigação para com aquele de quem recebemos um dom.

Pois bem, há muitas expressões do culto cristão que acabam passando "desapercebidas". Uma delas intitula esta nossa reflexão. Em toda Missa, após a oração sobre as oferendas, à exclamação do sacerdote "demos graças ao Senhor, nosso Deus" respondemos - quase automaticamente - "é nosso dever e salvação". Paremos para refletir um pouco nesta nossa resposta.

Gustavo Cabral/A12
Gustavo Cabral/A12


Como assim, a gratidão é dever e salvação nossa?

Demos um passo atrás. Antes de falar em gratidão, falemos em gratuidade. Pensemos naqueles momentos em que realmente nasceu de nós um sincero e profundo "muito obrigado!". Provavelmente foi perante uma dádiva grande, ou um dom que nos ajudou muito, ou algo que ultrapassou o que esperávamos, ou que nos chegou na hora e lugar certo (numa situação de particular necessidade).

Pensemos agora em como Cristo experimentava isso de forma especial com seu Pai. João, ao abrir a segunda parte do seu Evangelho, diz de Jesus:

"Sabendo que o Pai tudo lhe havia dado nas mãos..." (13,3).

Paremos aí. Jesus, o Filho, sabia que tudo havia recebido do Pai. Isso O levava à gratidão, isso O levava a responder. Vejamos como no início das grandes coisas sempre está o dom. Reparemos em como o início da nossa vida, da vida de todo ser humano, é - ou foi pensado para ser - fruto de um ato de amor.

Leia MaisO que é a gratidão de que os coaches tanto falam?Oração da GratidãoSão Paulo aborda o mesmo assunto a partir de um ângulo mais incisivo:

"Que tens que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias como se não o tivesses recebido?" (1Cor 4,7).

Indica para nós a falta de sentido da ingratidão (que acaba virando vaidade), que vem de uma pobre percepção da gratuidade.

Assim, se para qualquer pessoa é importante a gratidão, para o cristão é "dever e salvação" sua. E esta começa pelo reconhecimento da ação de Deus em nós, que é o sentido do Prefácio (a parte que começa com a exclamação e resposta citadas no início deste texto) na Missa.

É, no fundo, a abertura à ação da graça, ao Amor de Deus que nos rodeia e ultrapassa. Não é estranho que um dos nomes no centro do culto cristão seja exatamente o de "ação de graças" (essa é a tradução do termo grego "Eucaristia").

Escrito por
Cankin Ma 2020 (arquivo pessoal)
Cankin Ma Lam

Nascido no Equador, filho de pai chinês é apóstolo de plena disponibilidade no Sodalício de Vida Cristã. Atualmente faz caminho ao sacerdócio e estuda teologia na Universidade Católica de Petrópolis.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.