Por Martín Ugarteche Fernández Em Espiritualidade Atualizada em 02 JUL 2019 - 10H48

Não tenho mais sonhos

Shutterstock
Shutterstock


Em certa ocasião, um amigo sacerdote escreveu ao pensador católico Leon Bloy, na qual lhe dizia que não tinha alma de santo. A reação de Bloy não se deixou esperar. É precisamente a resposta à carta desse sacerdote desesperado que nos deu uma das frases mais conhecidas de Bloy: “Não há maior tristeza que a de não ser santo”.

Na mesma resposta, Leon Bloy escreveu, cheio de emoção, que todos temos almas de santos, o que é um grande mistério, realmente impressionante para quem o considerar com verdadeira atenção.

Caro amigo, se você é daqueles que não tem mais sonhos, o aconselho a pensar um pouco, a perguntar-se o que o levou a pensar dessa maneira. Pode ser que você tenha se frustrado em algumas das metas que traçou até agora. Pode ser que esteja cansado simplesmente de tentar mais uma vez...

Não se deixe abater pelo desânimo!

Marjan Apostolovic/Shutterstock
Marjan Apostolovic/Shutterstock

Leia MaisA Venezuela, o silêncio e a missão dos JesuítasMinha família é contra o meu namoroRecomeço de vida é possível para detentos? Aprender a aprenderDe que o mundo precisa?
Há alguns dias, com alguns amigos, assisti um documentário muito bonito sobre a Divina Misericórdia, do ano 2016. O filme reúne vários testemunhos de pessoas que tiveram as suas vidas transformadas pela mensagem que o Senhor Jesus transmitiu ao mundo a través de Santa Faustina e São João Paulo II.

A mensagem central é que Deus nos ama, ele nos perdoa e sempre nos estende a mão, para caminha junto conosco pela vida, rumo ao Céu.

Se nos mantemos firmes nessa certeza, nenhuma mágoa ou desilusão poderá nos levar à tristeza e à desesperança. Em todo caso, elas serão passageiras, porque ao voltar o olhar e o coração para o Senhor, todas essas coisas perdem seu peso.

Há um testemunho no filme de um policial americano que fica tetraplégico e que perdoa ao jovem que lhe disparou, causando-lhe esse mal. A partir desse momento, ele também se tornou um apóstolo da misericórdia de Deus.

Shutterstock
Shutterstock


Recomendo assistir ao filme, mas, sobretudo intensificar a sua oração, o seu encontro com o Senhor. Um cristão não pode ser triste, mas deve sonhar muito alto porque, pelo seu Batismo, está chamado à santidade, a viver, já neste mundo, uma relação de comunhão íntima com a Santíssima Trindade, Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

A tristeza, o desânimo, a desesperança, não são compatíveis com o ser cristão. Uma das causas dessa tristeza pode ser o pecado. Mas lembre-se de uma coisa: não há pecado que seja maior do que o Amor de Deus. Peça perdão a Deus, arrependa-se sinceramente, procure a Confissão.

Volte a sonhar!

Escrito por
martín ugarteche (Arquivo Pessoal)
Martín Ugarteche Fernández

Nasceu em Lima, Peru, no ano de 1978. É membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1996. Desde 2001 mora em Petrópolis, na Comunidade Sodálite "Mãe da Reconciliação", onde desenvolve diversos projetos de formação e evangelização da cultura. É professor de filosofia na Universidade Católica de Petrópolis, onde leciona Ética, Lógica e Filosofia da Natureza.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.