Por José Augusto Rento Cardoso Em Espiritualidade Atualizada em 09 JUL 2019 - 11H04

O que fazer se meu filho quer brincar de boneca?


SPF/Shutterstock
SPF/Shutterstock


Brincar
é uma das atividades mais importantes para o desenvolvimento de uma criança. Por meio das brincadeiras, a criança vai desenvolver suas habilidades cognitivas, sociais e emocionais. Sendo assim, alguns pais se questionam quando veem seus filhos brincando com o que chamam de “brincadeira de menina”, como brincar com bonecas, ou uma menina brincando com o que chamam de “brincadeira de menino”.

Shutterstock
Shutterstock

Geralmente, a questão considerada problemática repousa na crença de que a brincadeira é um sinal de uma determinada orientação sexual. Tal crença dos pais, muitas vezes, leva a atitudes negativas para com a criança, acabando por não ajudar a mesma em seu processo de desenvolvimento.

Inicialmente é importante considerar que a orientação sexual é um fenômeno complexo, que não pode ser reduzido a apenas uma brincadeira. Um menino que brinca de bonecas e uma menina que brinca de carrinho não é, por si só, um fator determinante, por exemplo, de uma orientação homossexual.

A orientação sexual deve ser vista a partir de diferentes perspectivas (biopsicossocial e espiritual), não se devendo jamais desconsiderar o aspecto da liberdade da pessoa diante de diferentes condicionamentos que podem existir.

A importância da participação dos pais nas brincadeiras

Um segundo aspecto que merece reflexão é que os pais devem inserir-se, na medida certa, nas brincadeiras dos filhos, acompanhando-os e interagindo com eles. Na hora da brincadeira, a criança tem a possibilidade de aprender a regular suas emoções, a entender limites e regras, bem como a desenvolver habilidades cognitivas e sociais importantes nos futuros relacionamentos interpessoais.

Leia MaisNão tenho mais sonhosA participação dos pais nas brincadeiras é também uma forma de expressão de carinho e afeto. E esses sim, são significativamente importantes no que diz respeito à estruturação da sexualidade.

Certamente, as brincadeiras também podem expressar características próprias do feminino ou masculino. Entretanto, o cuidado é para não rotular uma criança a partir dessas brincadeiras e, com isso, coagi-la, acabando por levá-la a vivenciar emoções negativas, bem como desamparo, por exemplo repreendendo um menino que brinca com bonecas. Essa atitude sim pode ser negativa para seu desenvolvimento psicoemocional.

Sendo assim, mais do que se perguntar qual o problema se seu filho brincar com boneca, adote a atitude de brincar com ele. Notadamente, os pais (e aqui falo no sentido masculino), devem sentar ao lado de seus filhos e doar o seu tempo aos mesmos, nas mais diversas brincadeiras. O papel paterno na diferenciação masculino/feminino é importante, já que o homem tende a adotar comportamentos que diferenciam mais meninos de meninas.

Nesse sentido, a participação do pai nas brincadeiras e cuidados cotidianos dos filhos é de grande importância. Por meio dessa participação e convivência, a criança vai aprendendo aqueles aspectos ligados ao masculino e ao feminino, diferenciando o que é próprio de um e outro.

Escrito por
jose augusto rento cardoso (Arquivo Pessoal)
José Augusto Rento Cardoso

José Augusto Rento Cardoso é natural de Petrópolis (RJ). Casado, membro do Movimento de Vida Cristã e coordenador do Projeto Reconciliatio Psicologia Integral. É graduado em Psicologia, mestre em História e Filosofia da Psicologia e Pós-graduado em Psicologia Positiva e em Logoterapia e Análise Existencial. Atua nas áreas da Psicologia Clínica e Psicologia Jurídica.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.