Espiritualidade

O Reino de Deus está no meio de nós!

Fr. Pablo Vinícius Reis Moreira (Arquivo pessoal)

Escrito por Fr. Pablo Vinícius Reis Moreira, C.Ss.R.

19 NOV 2021 - 13H52 (Atualizada em 19 NOV 2021 - 14H16)

piosi/Shutterstock Cruz e coroa de espinhos, semana santa, sexta-feira santa, paixão de Cristo (piosi/Shutterstock)

A solenidade de Cristo, Rei do Universo, que marca o fim do ano litúrgico na Igreja, celebra o reinado de Deus no mundo. De fato, como nos diz o próprio Cristo, "o Reino de Deus não vem ostensivamente. Nem se poderá dizer: ‘Está aqui’ ou ‘Está ali’, porque o Reino de Deus está entre vós” (Lc 17,20).

Quando ouvimos a palavra reino, logo imaginamos coisas suntuosas, vistosas e ostensivas. Essa imaginação procede, uma vez que, nos livros de História, costumamos ler a vida de reis e rainhas que, revestidos de pompa e autoridade, governaram o seu povo. Contudo, nem sempre lemos o sucesso dessa forma de governar. Isso porque muitos deles deixaram de lado a vida do povo, governando com mãos de ferro. Por outro lado, a Bíblia nos brinda com a figura da rainha Ester que, movida por um sentimento de compaixão, pede ao rei pela vida e salvação do seu povo (cf. Est 5,1-14). Esse modelo de reinado é semelhante ao Reino de Deus, uma vez que traz consigo, não interesses pessoais e egoístas, mas a vida do povo que, constantemente, é ameaçada por sistemas injustos e geradores de morte.

O Reino de Deus se traduz como verdadeiro tempo de alegria e salvação para o povo. Esse reinado está intimamente ligado à pessoa e à obra de Jesus, o Verbo eterno do Pai. Na pessoa de Jesus, o Reino de Deus se concretiza, se faz presente no mundo. Em outras palavras, o Reino de Deus é a própria vida de Jesus que, desprendida de si, busca ser, no mundo de hoje, sinal de amor, paz, justiça e misericórdia. Trata-se de um reinado que vem de modo humilde e se revela nas coisas pequenas. Pequenas “como um grão de mostarda que alguém semeou no seu campo” (Mt 13,31), mas que, germinado no coração de Deus, produzem frutos abundantes de esperança e vida no coração do povo, sobretudo dos mais pobres e abandonados.

Renata Sedmakova/ Shutterstock
Renata Sedmakova/ Shutterstock

Esse reinado de Deus não é promessa futura. Ele já se encontra no meio de nós, com sua força de transformação. O mundo em que vivemos é o lugar, por excelência, da edificação desse Reino. Esse Reino vem para transformar a realidade existente e converter mentes opressoras. A presença do Reino de Deus entre nós inaugura um verdadeiro καιρός (“kairós”), um tempo oportuno de graça na vida do povo, levando esperança, sabedoria e paz às mais diversas situações a serem enfrentadas.

Engana-se quem pensa que o Reino de Deus já está pronto e acabado. Esse reinado do nosso Deus, assim como o grão de mostarda, irá crescendo aos poucos, gradativamente. Para isso, precisamos nos comprometer com o fim último do Reino de Deus: a vida do povo. Esse comprometimento pressupõe que empreguemos nossas forças na luta por políticas públicas que garantam o bem-estar do povo e, ao menos, o mínimo necessário para que levem uma vida verdadeiramente humana.

O Reino de Deus manifesta-se ainda aos homens na Palavra, nas obras e na presença de Cristo no mundo. O Catecismo da Igreja Católica, n. 764, é claro ao ensinar que “acolher a palavra de Jesus é ‘acolher o próprio Reino’”. Assim sendo, o Reino de Deus, que se fundamenta na palavra de Jesus, alcança o coração dos homens no anúncio da Palavra de vida eterna e de salvação.

Leia MaisO que é a solenidade de Cristo Rei? Por que celebramos?A pregação do Evangelho da salvação é expressão máxima no Reino de Deus. Na Bíblia, vemos que as pregações de Jesus demonstram verdadeira paixão pelo Reino de Deus. “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo” (Mt 6,33).

Esse convite de Jesus nos interpela a lutarmos por um mundo mais humano e fraterno. No Reino de Deus, a vida do povo é transformada e valorizada. A defesa da vida e o convite à comunhão entre irmãos são sinais concretos que nos remetem à vivência do Reino de Deus no hoje da nossa história, no aqui e no agora de nossa finitude.

Celebremos, irmãos e irmãs, a solenidade de Cristo Rei, e testemunhemos, com fé e alegria, que o Reino de Deus está no meio de nós.

Escrito por
Fr. Pablo Vinícius Reis Moreira (Arquivo pessoal)
Fr. Pablo Vinícius Reis Moreira, C.Ss.R.

Natural de Dores de Campos (MG), desde 2013 é seminarista da Congregação do Santíssimo Redentor. É bacharel em filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (SP). Atualmente está cursando teologia no Instituto São Paulo de Estudos Superiores (ITESP), em São Paulo (SP), preparando-se para o sacerdócio ministerial.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.