Por João Antônio Johas Leão Em Espiritualidade

Perseverança na fé durante a provação

Quando tudo caminha bem, é fácil dizer que confiamos no Senhor. Agora, quando fica mais evidente que “os Planos de Deus não são os nossos”, a experiência pode ser muito difícil e desconcertante a ponto de questionar-se inclusive a bondade do Senhor e dos seus caminhos para nós. Nas dificuldades, olhar para a grama mais verde do vizinho nem parece uma tentação, mas a saída para nossos problemas. Onde entra Deus no meio disso tudo?

Andar sob o carvão quente

 

"Como é possível viver essa provação sem perder a fé em um Deus bondoso, Pai de amor e misericórdia?"

Uma resposta é dizer que as dificuldades são provas que Deus permite para que cresçamos e demonstremos o nosso amor a Ele. Não quero desmentir isso, no livro dos provérbios encontramos uma famosa passagem que ilustra essa realidade: “A prata no forno, o ouro no crisol, mas é Iahweh que prova o coração” (Prov 17, 3). Ou ainda, o livro de Jó nos conta exatamente uma história de provação da fé de um homem justo.

Mas como é possível viver essa provação sem perder a fé em um Deus bondoso, Pai de amor e misericórdia? Mesmo que não tenhamos essa resposta na ponta da língua, podemos olhar para os exemplos de santidade e perceber que a perseverança na hora da provação é uma constante na vida de cada um deles. Quantos santos não morreram antes de renegar a sua fé, e quantos não sofreram durante muito tempo uma doença que os fez crescer ainda mais no amor e no abandono confiado nas mãos de Deus?

Uma outra pista que nos dá Jesus de que é possível viver a fé, e uma fé alegre, mesmo em meio às dificuldades, está nas chamadas bem-aventuranças encontradas nos evangelhos de Mateus e de Lucas. Lá Jesus proclama alegres os perseguidos, os pobres, os que sofrem por causa da justiça. Como pode ser isso? É algo que vai totalmente contra a mentalidade mundana predominante. Como pode ser feliz um pobre? Mas é o que Jesus diz.

 

"No meio do sofrimento somos chamados a amar com mais força..."

Penso que o central em todas essas realidades e o que nos permite perseverar na fé independentemente da situação na qual nos encontremos é o encontro pessoal com Jesus. A partir do encontro com a pessoa viva de Jesus, a perspectiva da vida muda completamente. Esse encontro agora ilumina toda a realidade, faz com que eu a veja com outros olhos, os de Deus. E esse novo olhar não acaba com as dificuldades mas permite que vejamos como o amor triunfa sobre todas elas. Os santos e os mártires são capazes do que fizeram porque amaram ardentemente a Jesus. Em alguma medida cada um de nós experimenta que o amor é muito poderoso. O amor de um pai por um filho que sofre o faz capaz de muito para aliviar esse sofrimento. Quanto mais nos move um amor intenso por Deus, mais nos faz capaz de tudo por amor.

A chave é o amor. No meio do sofrimento somos chamados a amar com mais força, mas isso só vai ser possível se realmente tivermos nos encontrado com aquele que é a fonte desse amor, Jesus. Auxilia-nos muito pedir a intercessão de Maria, mãe de Jesus, que como ninguém soube perseverar na fé em meio as dores. Com seu auxílio, permaneceremos, como ela, de pé no momento da cruz.

João colunista assinatura

5 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por João Antônio Johas Leão, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.