Por Redação A12 Em Igreja

Campanha indica que acidente de trabalho não é culpa da vítima


Pelo terceiro ano, a Pastoral Operária lança a Campanha 'Acidente de Trabalho não é culpa da vítima' para conscientizar a população sobre o assunto. 

No Brasil, de 2012 a 2017, foram notificadas mais de 15 mil mortes por acidente de trabalho pelo Ministério Público do Trabalho, e somente em 2017 foram registrados mais de meio milhão de acidentes de trabalho. 

Segundo Gilmar Ortiz, engenheiro mestre em segurança no trabalho e membro da Pastoral Operária, a campanha tem sua relevância ao informar que os acidentes de trabalho são quase sempre causados por culpa das empresas e não de seus empregados. Ele afirma que, a Campanha da Fraternidade 2018 fala em violência, mas a campanha da Pastoral Operária sobre acidentes de trabalho fala em crime, já que as mortes ocorridas em serviço poderiam ser evitadas, se as empresas cumprissem as leis; mas na grande maioria, não cumprem. E isto é crime.

:: Campanário se ilumina de verde em memória as vítimas de acidente de trabalho

Para os debates nos diversos grupos de estudo, a Pastoral Operária propõe a seguinte questão: Como o caminho da Campanha da Fraternidade pode auxiliar na denúncia das vítimas de crimes e violências no trabalho?

Responsabilidade das empresas – As empresas são responsáveis pela integridade de seus empregados, ressalta Ortiz, declarando que estas utilizam-se de várias alegações para se livrar desta responsabilidade. E aponta duas destas alegações como exemplos: Ocultar riscos e acidentes, ou seja, mascarar as falhas nos locais de trabalho e esconder os acidentes ocorridos; afirmar que as leis e normas são complicadas e que, por isso não as atendem.

Leia MaisCáritas realiza curso para formar 422 agentes de desenvolvimentoPapa diz que escravidão não é algo de outros temposCongresso traz Virgem Maria em outras tradições religiosasGilmar esclarece que as causas dos acidentes e doenças partem dos empregadores, pois em sua maioria, ocorrem por falhas organizacionais e muitas outras, ou seja, são multicausais. "Os acidentes, inclusive os fatais, não são divulgados pelos meios de comunicação, querendo transparecer que não existem mortes no trabalho. Infelizmente elas existem sim…e não é normal a pessoa morrer no trabalho, pois sai de casa para ganhar a vida, e não para perdê-la". 

Concluindo sua exposição, Gilmar Ortiz apresenta as estações da Campanha da Fraternidade, comparando o sofrimento de Jesus com as vítimas dos dias de hoje.

A campanha foi lançada na véspera do Dia Mundial em memória das vítimas de acidentes do trabalho, que é celebrado todo dia 28 de abril, em memória da tragédia que vitimou 78 trabalhadores, na explosão de uma mina nos Estados Unidos, em 1969. A tragédia marcou a data como o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes do Trabalho, já que encampando essa luta, mas com foco na prevenção, a Organização Internacional do Trabalho instituiu em 2003, o 28 de abril como o Dia Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.