Por Redação A12 Em Igreja

Cardeal de Aviz faz balanço sobre o Ano da Vida Consagrada

O Cardeal dom João Braz de Aviz, prefeito da Congregação para os Institutos da Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica em entrevista a Rádio Vatciano falou sobre os primeiros meses do Ano da Vida Consagrada declarado pela Igreja nesse ano de 2015.

Dom João Braz destacou que a partir da declaração do Ano da Vida Consagrada um novo estímulo foi impulsionado.

“Nasceu um novo ânimo, há uma nova alegria, como o Papa pede aos religiosos”, destacou o cardeal.

O Ano da Vida Consagrada está na metade do seu percurso, dom João Braz comenta suas impressões ao visitar os religiosos ao redor do mundo, da América Latina à África, da Europa à Ásia.

cardeal_joao_braz_de_aviz“Eu sinto que estou colocando em prática o que o Papa pede: sair do meu escritório e ir para os lugares onde estão os religiosos. Temos observado que não é tanto que a gente diz no meio deles, mas é o fato de estar lá. Isso acontece com os grupos das mais diferentes tendências, religiosos, digamos que segue uma linha mais tradicional, outros mais abertos, conferências com problemas mais específicos, o que alegra é estar. E vamos não para impor nada, primeiramente conviver, escutar, ver como estão e depois dizer a palavra em nome do Santo Padre”, conta.

O cardeal brasileiro observou, durante o trabalho nesse Ano da Vida Consagrada, um novo ânimo entre os religiosos, que ao invés de ser como um sentimento de quem está com problemas de poucas vocações isso se vê como uma nova alegria para recuperar alguns pontos do trabalho religioso.

“Na plenária da Vida Consagrada em novembro do ano passado vimos a partir da palavra do Papa ‘vinho novo em odres novos’ quais são os odres novos, ou seja, os odres velhos que precisam ser renovados são; a vida comunitária; o conceito de formação e a questão da autoridade”, colocou.

 

"...os bens da terra são importantes, podem ser usados, mas não são feitos para o egoísmo e sim para o bem de todos e nós consagrados podemos mostrar isso..."

Em sua entrevista o cardeal ainda falou sobre a contribuição da Vida Consagrada para a Igreja dando o exemplo do celibato, a obediência e a fraternidade.

“O Papa diz que a Vida consagrada é uma pérola da Igreja, por que além do discipulado, temos as coisas que Jesus viveu pessoalmente, por exemplo, o celibato, isso é possível se for evangelho, se nós consagrados formos realmente como o evangelho pede somos uma grande ajuda para os casados; a questão da liberdade diante dos bens, o dinheiro não pode tomar o lugar de Deus, eu não posso confiar mais na minha conta bancária do que na providência de Deus, os bens da terra são importantes, podem ser usados, mas não são feitos para o egoísmo e sim para o bem de todos e nós consagrados podemos mostrar isso, além disso, vem a questão da obediência que é deixar de lado a própria vontade e buscar a vontade Deus, esperamos que o Ano da Vida consagrada desperte tudo isso”, concluiu.

O ano da Vida Consagrada tem o seu encerramento previsto para o dia 2 de fevereiro de 2016.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.