Por Elisangela Cavalheiro Em Igreja

Centenário da morte de Charles de Foucauld convida ao acolhimento da espiritualidade do deserto

Charles de FoucaldNo próximo dia 1º de Dezembro a Igreja Católica em diversas localidades abrirá o centenário da morte do Beato Charles de Foucauld , que viveu entre 1858 e 1916. O centenário é um convite ao acolhimento da espiritualidade do deserto, vivida pelo beato em meio ao povo Tuareg, um povo nômade do deserto norte-africano. 

Até os 28 anos Charles de Foucauld  viveu distante da fé. Mas em uma viagem ao Marrocos, vendo o testemunho da fé dos muçulmanos, refletiu sobre a existência de Deus e indagou: "Mas Deus, existe? "Meu Deus, se existis, fazei que vos conheça". Voltando ao convívio familiar descobriu a fé cristã e depois em uma viagem à Terra Santa decidiu entregar sua vida totalmente a Deus.

Foi ordenado padre aos 43 anos, quando foi transferido para o deserto do Saara e passou a conviver com o povo Tuareg. Ali viveu como pobre entre os pobres e descobriu uma vida de oração e adoração.

O cardeal Walter Kasper ao falar sobre a espiritualidade que buscou Charles de Foucauld  disse: "Charles de Foucauld me parecia interessante como modelo para realizar a missão do cristão e da Igreja não apenas no deserto de Tamanrasset, mas também no deserto do mundo moderno: a missão por meio da simples presença cristã, na oração com Deus e na amizade com os homens". 

Em vida, Charles de Foucauld não teve muitos seguidores. Seu testemunho e exemplo foram descobertos apenas depois de sua morte.

Foto de: reprodução.

Retrato de uma família tuaregue

Retrato de uma família tuaregue. 

 

Hoje existem no mundo, onze congregações religiosas e oito associações de fiéis, espalhadas pelos cinco continentes que levam adiante a regra de vida de Charles de Foucauld  baseada na ‘Vida de Nazaré', ou seja, a vida simples, pobre e oculta de Jesus de Nazaré até os 33 anos.

"Nós, cristãos, também somos filhos de nosso tempo; queremos planejar, fazer, organizar, controlar os resultados... Charles de Foucauld nos sugere uma abordagem diferente: imitar e viver a vida de Jesus em Nazaré. Poderíamos nos perguntar: Jesus, passando trinta de seus trinta e três anos numa vida oculta em Nazaré, por acaso perdeu tempo? Em verdade, é justamente a realidade cotidiana, a realidade ordinária que é o verdadeiro espaço público onde se manifesta o dom da vida cristã", assinala o cardeal. 

Charles de Foucauld foi beatificado pelo papa emérito Bento XVI, em 13 de novembro de 2005.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.