Por Redação A12 Em Igreja Atualizada em 15 JUL 2019 - 09H04

Cinco homens inspiradores para você agregar ao seu cotidiano

A história da humanidade está coberta de bons exemplos de fé, caridade, justiça, boas ações, fidelidade, gratuidade e vários outros adjetivos.

Listamos aqui alguns exemplos a serem seguidos. Confira!

Jesus Cristo

Shutterstock
Shutterstock


O primeiro deles dispensa grandes apresentações, porém seu modelo de vida pode - e deve - ser mais explorado por todos.

Não tem como dar errado: se você agir, pensar e amar como Jesus, podemos ter a certeza de que, ao se espelhar n'Ele, podemos nos tornar pessoas melhores e mais felizes, examinando algumas qualidades.

 - Equilíbrio: Seu primeiro milagre - transformar água em vinho - mostra que Ele não era antissocial, nem inacessível; ele participava de festas e casamentos, era aberto a todos.

Diversas passagens bíblicas mostram Jesus como um homem cordial, amigável, que ouvia as pessoas, e respondia perguntas difíceis. Em (Mc 6: 30-32) é possível ver Jesus como um amigo de seus discípulos.

- Capacidade de se colocar no lugar dos outros. Estendendo as mãos, Jesus curou o leproso (Mateus 8, 2-3), mas Ele não curava as pessoas simplesmente para cumprir profecia. Ele queria acabar com a tristeza delas.

Outras características de Jesus também podem ser inspiradoras:

- Era compreensivo;
- Sabia discernir;
- Nunca esperou perfeição nos outros;
- Não apoiava ideias preconceituosas;
- Não rejeitava seus amigos pelos erros que cometiam.

:: A diferença da proposta de Jesus

João Paulo II

Shutterstock
Shutterstock


Alguns fatos marcaram os quase 27 anos de papado de São João Paulo II, que teve um pontificado marcante na atualidade, tanto por fatos históricos, quanto por sua personalidade.

Veja abaixo:

- Ele foi um dos líderes que mais viajaram na história, tendo visitado 129 países durante o seu pontificado e estreitado relações com vários povos e religiões;

- Sabia se expressar em italiano, francês, alemão, inglês, espanhol, português, ucraniano, russo, servo-croata, esperanto, grego clássico e latim, além do polaco, sua língua materna;

- Beatificou 1340 pessoas e canonizou 483 santos, que é uma quantidade maior que todos os seus predecessores juntos pelos cinco séculos passados;

- Ele perdoou o homem que tentou assassiná-lo.

Em 13 de maio de 1981, uma quarta-feira, na Praça de São Pedro, no Vaticano. O papa foi baleado e gravemente ferido por Mehmet Ali Ağca, um terrorista turco. Ağca foi detido imediatamente e condenado à prisão perpétua por um tribunal italiano. Mais tarde, o Papa perdoou o terrorista pela tentativa de homicídio. Ele também recebeu o perdão do então presidente da Itália, Carlo Azeglio Ciampi, a pedido do religioso e foi deportado para a Turquia em junho de 2000.

- Além, disso, ele tinha um senso de humor incrível, mesmo quando a sua saúde já estava debilitada. 

:: João Paulo II: o atentado, o perdão e a misericórdia

Frei Damião


Shutterstock
Shutterstock


O Servo de Deus Frei Damião de Bozzano, frade italiano radicado no Brasil, em processo de beatificação é venerado pelos fiéis, principalmente nordestinos.

Na cidade de Recife, mais precisamente no Convento de São Félix da Ordem dos Capuchinhos, é onde se encontra seu corpo. Lá acontecem, desde sua morte em 1997, diversas celebrações em sua memória.

Mas quais características de Frei Damião podem nos inspirar?

 - Ocupou-se em disseminar “as santas missões” pelo interior do Nordeste;

- Total desprendimento aos bens materiais. (Ele possuia apenas um terço, uma cruz e algumas mudas de roupas);

- Exemplo de humildade.

:: Frei Damião de Bozzano e as Santas Missões

Padre Cícero

Reprodução
Reprodução


Figura amada e odiada, antes e depois da sua morte, Padre Cícero fez de Juazeiro do Norte (CE) um lugar de fé, ainda em vida.

Alguns aspectos muito importantes ele deixou:

 - Desenvolveu uma cidade a partir do zero;

- Foi um grande propagador da devoção ao Sagrado Coração de Jesus.;

- Fez um intenso trabalho pastoral de pregação, conselhos e visitas domiciliares. 

:: Padre Cícero: Alma viva em Juazeiro

Pietro Molla

Reprodução
Reprodução

O marido de Santa Gianna Beretta Molla, Pietro Molla, faleceu aos 97 anos, num Sábado Santo, dia de especial importância para sua família. Ele viveu uma vida de santidade, passando uma boa parte da sua vida como viúvo, de 1962 (ano de falecimento de Santa Gianna) até 2010 (ano de sua morte).

Sua esposa, Santa Gianna, preferiu dar à luz a sua filha, repelindo o aborto que alguns médicos lhe sugeriam, assim como o tratamento que poderia ter salvo a sua vida. Gianna era médica e faleceu uma semana depois de ter dado à luz a Gianna Emanuela.

Pietro ficou com os quatro filhos e nunca voltou a casar-se. Ele deu exemplo de amor e dedicação à família.

:: Santa Gianna: o amor de mãe que leva à santidade

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.