Por Redação A12 Em Igreja

Como alcançar a indulgência plenária no Ano da Misericórdia?

O Papa Francisco proclamou um “jubileu extraordinário”, e seu início foi no dia oito de dezembro, dia da Imaculada Conceição. O encerramento do Ano Santo será no dia 20 de novembro deste ano.

“Será um Ano Santo da Misericórdia. Queremos vivê-lo à luz da palavra do Senhor: ‘Sede misericordiosos como o Pai’ e isto especialmente para os confessores”.

O Pontífice também escreveu uma carta por ocasião do Ano da Misericórdia explicando as formas pelas quais os fiéis poderão receber a indulgência durante este jubileu.

Independentemente do ato realizado pelo fiel, para se receber efetivamente a indulgência é necessário cumprir com as condições habituais: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração pelas intenções do Santo Padre.

Foto de: Michell Lima

confissao_foto_michell_lima_2

 

Sendo o Ano Santo um período em que se enfatiza o perdão, a libertação e a misericórdia, a Igreja propõe, de modo especial, nessas ocasiões, as indulgências: obras realizadas com espírito de piedade e arrependimento mediante as quais a Igreja suplicava a Deus o perdão para as penas que o pecado trazia para o pecador. 

Assim, a Igreja, corpo e esposa de Cristo, ministra da reconciliação, derramava sobre seus filhos as riquezas da graça e do perdão do Senhor Jesus morto e ressuscitado!

“Para lucrar a indulgência plenária, além da repulsa de todo afeto a qualquer pecado, até venial, requerem-se a execução da obra enriquecida da indulgência e o cumprimento das três condições seguintes: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do Sumo Pontífice” (Normas,7-10).

Conforme o ensinamento da Igreja Católica, “Indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos” (Constituição Apostólica Indulgentiarum Doctrina, 1967, Papa Paulo VI, Sobre a doutrina das indulgências, n.1).

Confira abaixo algumas maneiras de obter essa graça:

1 - Fazendo peregrinação até a Porta Santa aberta nas quatro Basílicas papais em Roma, nas catedrais ou igrejas estabelecidas pelo Bispo diocesano, manifestando desejo profundo de autêntica conversão. Essa graça também poderá ser alcançada nos Santuários e nas igrejas jubilares.

2 - Realizando pessoalmente uma ou mais obras de misericórdia corporais e espirituais.

3 - Os enfermos e anciãos que não podem sair de casa são recomendados pelo Papa a "viver a enfermidade e o sofrimento como experiência de proximidade ao Senhor que no mistério de sua paixão, morte e ressurreição indica a via mestra para dar sentido à dor e à solidão".

4 - "Viver com Fé e gozosa esperança este momento de prova, recebendo a comunhão ou participando na Santa Missa e na oração comunitária, também através dos diversos meios de comunicação, será para eles o modo de obter a indulgência jubilar".

5 - Os encarcerados poderão receber a indulgência nas capelas das prisões e todas as vezes que atravessarem a porta de sua cela dirigindo seu pensamento e oração a Deus. "Possa este gesto ser para eles a passagem da Porta Santa, porque a misericórdia de Deus, capaz de converter os corações, é também capaz de converter as grades em experiência de liberdade", afirmou o Pontífice.

6 - Os defuntos também poderão receber essa graça sempre que se rezar por eles "para que o rosto misericordioso do Pai os livre de todo resíduo de culpa e possa abraçá-los na bem-aventurança que não tem fim".

 

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.