Por Elisangela Cavalheiro Em Igreja

Estudos clássicos de Edith Stein chegam ao Brasil traduzidos

Capa Revita TQArtigos “clássicos” que tratam sobre o pensamento de Edith Stein ou Santa Teresa Benedita da Cruz e publicados originalmente em revistas estrangeiras chegam ao Brasil traduzidos em português pelos membros do Grupo de Pesquisa da Unifesp. A publicação organizada em parceria com a Faculdade Dehoniana, de Taubaté (SP), traz 11 artigos assinados por especialistas do pensamento steiniano de diferentes instituições na 30ª edição da revista TQ – Teologia em Questão.

A publicação recorda o centenário de defesa da tese de doutorado de Edith Stein intitulada ‘O problema da empatia’.

De acordo com o professor Eduardo Dalabeneta, revisor técnico e membro do conselho editorial da publicação, os artigos foram escolhidos segundo sua relevância teórica e por serem referências no estudo dos temas, além de possibilitar que os leitores se aproximem da originalidade com a qual Edith Stein tratou desses temas.

“Como no Brasil está se formando uma geração de pesquisadores e interessados no pensamento da filósofa, estes artigos agora em língua portuguesa tornam acessível o que de mais profundo se pesquisa nos textos steinianos e possibilitam aos nossos pesquisadores se inserirem na grande rede de estudos internacionais em torno de Edith Stein”, esclarece o professor.

Para o editor da revista, padre Emerson Marcelo Ruiz, a publicação desses escritos contribui para o aprofundamento de temas atuais relacionados com o pensamento dessa grande filósofa da Igreja.

“Por um lado, sua vida se projeta no tempo e ilumina o momento presente, marcado pelo debate sobre os imigrantes, o papel da mulher e a identidade europeia. Por outro lado, sua obra capacita a novas e mais profundas compreensões da realidade através da fenomenologia, especialmente neste período em que o conceito de verdade é questionado e até se fala de pós-verdade”, assinala.

O A12 entrevistou ainda o professor Juvenal Savian Filho, autor de um artigo publicado na revista, sobre a tese de doutorado de Edith Stein. Confira:

A12 - Sobre a tese de doutorado 'O problema da empatia', o que significou essa obra e como Edith Stein trata o tema da empatia?

Professor Juvenal Savian - A obra que resultou da tese de doutorado de Edith Stein significou o primeiro estudo sistemático sobre o tema da empatia no registro da fenomenologia husserliana. Outros autores já haviam escrito sobre a empatia, inclusive Theodor Lipps, amigo de Edith Stein e intelectual admirado por ela. Mas, em registro husserliano, o livro de Edith Stein é a primeira publicação substanciosa e sistemática. Posteriormente, Edmund Husserl [criador da fenomenologia] publicará os três famosos volumes sobre a Intersubjetividade (concebidos certamente em grande parte em diálogo com Edith Stein), além da quinta meditação das Meditações Cartesianas. São trabalhos em que ele trata da empatia. Mas a tese de Edith Stein foi pioneira em esclarecer a essência da empatia segundo a fenomenologia de Husserl; e o próprio Husserl reconheceu que o trabalho de esclarecimento feito por Edith tinha grande valor e oferecia para a comunidade científica algo realmente importante e singular. Justamente é por sua busca de clarear essências que Edith Stein trata da empatia, chegando à descrição da vivência empática como "consciência da consciência alheia", "experiência da consciência alheia". O tema da empatia é hoje um campo de confusões conceituais e equívocos. Muitas pessoas a confundem com compaixão, simpatia, identificação, moção afetiva, gostar ou não de alguém etc. A empatia não é nada disso. Ela é a experiência pela qual eu colho o sentido do que se passa na consciência de outra pessoa. Simplesmente isso. No entanto, por ser "simplesmente isso", é certo que a empatia está na raiz de todas as vivências intersubjetivas. É ela também que, como desenvolverá Husserl (mais até do que Edith Stein), permite perceber alguns seres como seres semelhantes a nós: é a empatia que faz ver os seres humanos como semelhantes e não como meros entes.                  

A publicação também contou com a colaboração do Grupo de Trabalho “Edith Stein e o Círculo de Gotinga”, da Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (Anpof). 

Mais informações sobre a publicação no site dehoniana.com.br

Conheça mais sobre a história dessa filósofa, teóloga, mártir e Padroeira da Europa - Santo do Dia

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.