Por Redação A12 Em Igreja Atualizada em 20 FEV 2018 - 10H25

Igreja celebra primeira festa dos santos Jacinta e Francisco Marto



Um ano depois da canonização dos Santos Francisco e Jacinta Marto, o Santuário de Fátima, em Portugal, celebra nesta terça-feira (20), a primeira festa litúrgica dos mais jovens santos não-mártires da Igreja.

Nesta manhã, o Santuário já reuniu os fiéis para a oração do Rosário na Capelinha das Aparições, e missa votiva na Basílica da Santíssima Trindade. A diferença de fuso horário entre Portugal e Brasil é de cinco horas a mais.

No período da tarde, ainda ocorre um encontro com crianças, visita aos túmulos dos Pastorinhos, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, acompanhado musicalmente pelo grupo Schola Cantorum Pastorinhos de Fátima, e oração das vésperas.  

O Santuário de Fátima transmite ao vivo as celebrações em sua página oficial no endereço: www.fatima.pt.

Vida dos santos

O Papa João Paulo II definiu a vida de Francisco e de Jacinta Marto como “duas candeias que Deus acendeu para iluminar a humanidade nas suas horas sombrias e inquietas”. 

Nascidos em Aljustrel, com menos de dois anos de intervalo, morreram pouco tempo depois das Aparições, tal como Nossa Senhora lhes tinha anunciado: “a Jacinta e o Francisco levo-os em breve. Mas tu [Lúcia] ficas cá mais algum tempo” (Aparição de 13 de junho de 1917).

Vidas breves, mas suficientes para que a Igreja Católica reconhecesse, pela primeira vez na sua história de 2000 anos, a “heroicidade das virtudes e a maturidade de fé de crianças não-mártires”, por decreto de João Paulo II, de 13 de maio de 1989, que abriu o precedente para o reconhecimento da sua santidade.

Francisco Marto, nasceu em 11 de junho de 1908 e foi batizado em 20 de junho na Igreja Paroquial de Fátima. Com apenas 8 anos de idade, começou, com a sua irmã Jacinta, a pastorear o rebanho dos seus pais na zona da Cova da Iria, local onde, juntamente com a prima Lúcia, viriam a testemunhar as Aparições, durante as quais podia apenas ver, sem ouvir ou falar.

Levado pelo desejo íntimo de consolar o coração de Jesus, pois – dizia – queria dar alegria a um Deus que estava triste com os agravos ao Seu coração, Francisco viveu intensamente a oração contemplativa. Para isso, passava horas seguidas em oração em frente ao sacrário, na Igreja Paroquial de Fátima.

Essa vontade de desagravar o coração de Jesus e de se dedicar inteiramente à oração levou-o a desistir de ir à escola, apesar de, nas Aparições, Nossa Senhora de Fátima ter pedido para que aprendessem a ler e a escrever.

Em 18 de outubro de 1918, pouco mais de um ano depois da última Aparição, Francisco adoece, vítima da epidemia da gripe pneumônica, também chamada de gripe espanhola, que assolou o país. Morreu no dia 04 de abril de 1919. 

Jacinta Marto teve uma vida ainda mais curta do que a do seu irmão Francisco. Nascida em 11 de março de 1910, também em Aljustrel, não chega a atingir os 10 anos de idade. Ao falecer em Lisboa, igualmente vítima da mesma doença, em 20 de fevereiro de 1920, longe da família, “mas consolada com a certeza de ir para o Céu”, como escreveu Irmã Lúcia.

Nas Aparições, Jacinta via e ouvia, mas não falava. Segundo a prima Lúcia, Jacinta afligia-se com o sofrimento dos pecadores após a visão do Inferno, na Aparição de 13 de julho de 1917. Seu coração encheu-se de compaixão por eles e de devoção ao Imaculado Coração de Maria.

Essa profunda devoção levou-a à oração intensa e a suportar sacrifícios pelos pecadores, relembrou ainda Lúcia nos seus escritos, nos quais recorda que a prima sofria com o afastamento da família, saudades da mãe, chorando com fome nos períodos em que fazia jejum por compaixão pelos pecadores.

Jacinta disse ter tido várias aparições de Nossa Senhora durante a sua doença, em casa, na Igreja de Fátima, no orfanato onde esteve, em Lisboa, antes de ser internada e, depois, no Hospital de D. Estefânia. 


Canonização e milagre brasileiro 

Francisco e Jacinta Marto foram canonizados no Santuário de Fátima, no dia 13 de maio de 2017, durante a celebração do Centenário das Aparições, presidida pelo Papa Francisco. 

No processo de Francisco e Jacinta Marto, foi aceito como milagre a cura de uma criança brasileira, Lucas, que teve traumatismo craniano depois de ter caído de uma janela, a uma altura de 6,5 metros no dia 3 de março de 2013. 

Veja essa série de vídeos especiais que o A12 produziu em sua viagem a Fátima, em 2015. 

:: Especial Fátima: A fé do povo português na Mãe do Rosário

Fonte: Santuário de Fátima/Portugal.

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.