Por Redação A12 Em Igreja

Missa abre oficialmente processo de beatificação de Dom Helder Câmara

O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, presidirá amanhã (03), a Missa oficial de abertura do processo de beatificação de Dom Helder Pessoa Câmara, com a posse do tribunal responsável pela causa.

Foto de: Reprodução Arquidiocese de Olinda e Recife

Dom Helder_1 - Reprodução Arquidiocese de Olinda e Recife

A expectativa é de que centenas de leigos e religiosos de Pernambuco e de outros estados compareçam à celebração, que será realizada na Igreja Catedral do Santíssimo Salvador do Mundo, em Olinda, às 9h. O arcebispo emérito da Paraíba e amigo do Dom da Paz, dom José Maria Pires participará da solenidade e fará a homilia.

Com a leitura do decreto de constituição do tribunal, Dom Saburido apresentará o grupo de trabalho, que será composto por cinco membros: juiz delegado e promotor de justiça (ambos canonistas), notário, notário adjunto e cursor. “O objetivo deles será analisar os novos textos publicados por dom Helder e ouvir pessoas que tiveram contato com o Servo de Deus.”, explica o postulador da causa de beatificação de dom Helder, frei Jociel Gomes.

Aproveitando a passagem pela arquidiocese, Dom José Maria Pires será a primeira testemunha ouvida pelo tribunal. A sessão está marcada para às 15h. No decorrer do desenvolvimento dos trabalhos o grupo irá agendando os demais depoimentos. As falas se somarão aos escritos, mensagens, livros e outros objetos relacionados à vida de dom Helder. Desde o mês passado, a Cúria Metropolitana, no bairro das Graças, se tornou ponto de coleta para esse material.  

Processo

Uma comissão histórica atuou durante o pedido de abertura do processo, concluído em maio de 2014. Menos de um ano depois, em fevereiro, a arquidiocese recebeu o aval da Santa Sé ratificado por meio de carta enviada pelo prefeito da Congregação Causa dos Santos, cardeal dom Angelo Amato. Contudo, a correspondência só chegou à arquidiocese, no início de abril. Só então, dom Saburido assinou o edital tornando pública a autorização do Vaticano.

“Tenho um carinho enorme por dom Helder e desde que cheguei à arquidiocese há esse desejo do povo de Deus. Enviamos o pedido no dia 27 de maio do ano passado e nos surpreendeu positivamente o retorno rápido da Santa Sé. Agora vamos trabalhar para concluir a etapa diocesana do processo. Em seguida, será a vez do Vaticano realizar a outra parte processo”, declara dom Saburido.

Terminada a fase diocesana, o postulador elaborará o “Positio”. Trata-se de um compêndio dos relatos e estudos realizados pela comissão, contendo uma biografia documentada e a apresentação das virtudes teologais e cardeais praticadas pelo Servo de Deus.  Assim que aprovado, o papa concede o título de Venerável Servo do Senhor.

A penúltima etapa é a da beatificação. Ser beato, ou bem-aventurado, significa representar um modelo de vida para a comunidade e, além disso, que essa pessoa tem a capacidade de agir como intermediário entre os cristãos e Deus. Para isso será necessário o reconhecimento de um milagre realizado por intercessão do Servo de Deus.

Depois, ainda é preciso passar por mais uma fase: a canonização. Para ser proclamado santo é imprescindível a comprovação de outro milagre, que deve ocorrer após sua nomeação como beato.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.