Por Pe. André Gustavo de Sousa Em Igreja

Sacramento da penitência e da reconciliação

A festa do Perdão e da Misericórdia

confissao_foto_michell_lima_2

 

Caro internauta, estamos vivendo o ano jubilar da Misericórdia e durante alguns meses nos dedicaremos a refletir sobre o sacramento da Reconciliação. Iluminados pelo Catecismo da Igreja Católica, nos parágrafos 1421-1498, recomendo a você uma leitura aprofundada para recordar e atualizar o que já aprendeu desde a catequese sobre o sacramento de cura, chamado de Penitência ou Reconciliação e melhor celebrar a misericórdia de Deus nesta festa do Perdão.

O Catecismo nos ensina que o sacramento da Penitência é a continuidade, na força do Espírito Santo, da obra de cura e salvação de Jesus Cristo, e quem se aproxima deste sacramento pela misericórdia divina obtém o perdão e é reconciliado com Deus e com a Igreja.

Ele pode também ser chamado de sacramento da Conversão (pois voltamos para “casa”, para o abraço do Pai), de Penitência (pois exige de nós esforço pessoal e eclesial de conversão), de Confissão (dos pecados e da misericórdia de Deus), Perdão, Reconciliação (pois nele nos encontramos com o Amor que reconcilia).

 

A misericórdia divina nos oferece a oportunidade de conversão, restaurando a santidade e reconduzindo-nos ao caminho da vida eterna através do sacramento do perdão.

Apesar do Batismo nos dar uma vida nova, sabemos que ele não suprime a fragilidade, a fraqueza da natureza humana inclinada ao pecado, o que chamamos de concupiscência, e por isso muitas vezes cedemos a esta inclinação para o mal e acabamos pecando. Assim, a misericórdia divina nos oferece a oportunidade de conversão, restaurando a santidade e reconduzindo-nos ao caminho da vida eterna através do sacramento do perdão.

Sabemos que a Igreja (que somos nós) é santa e pecadora, e por isso tem necessidade de purificar-se se deixando atrair pela graça e respondendo ao amor misericordioso de Deus.

No sacramento da Reconciliação, somos convidados a reorientar nossa vida para Deus, de todo coração, a romper com o pecado e mudar de vida. A conversão é obra da graça. Deus chega antes em nosso coração e nos dá força para começar de novo: o Espírito Santo nos dá a graça do arrependimento e da conversão.

A Igreja é o sinal e instrumento do perdão e da reconciliação. Cristo confiou o exercício do poder de absolvição ao ministério apostólico (aos bispos e seus colaboradores, os presbíteros). Temos, pois, a graça de nos aproximar desse sacramento após um profundo exame de consciência e sincero arrependimento contando com a mediação da Igreja, que na pessoa do ministro ordenado, agindo na pessoa de Cristo, escuta nossa confissão e nos reintegra, nós pecadores, à comunidade, reconciliando-nos com Deus e com os irmãos e irmãs. “Tudo o que ligares na terra será ligado nos céus.” (Mt 16,19)

Padre Andre Gustavo assinatura colunista artigos

 

Escrito por
Assinatura pequena André Gustavo Colunista.png
Pe. André Gustavo de Sousa

Sacerdote da Arquidiocese de Aparecida (SP) , coordenador de Pastoral e Pároco da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Guaratinguetá (SP).

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.