Por Redação A12 Em Igreja

Semana Nacional Antidrogas mobiliza comunidades em todo o Brasil

Semana AntidrogasDe 19 a 26 de maio ocorre em todo o país a "Semana Nacional Antidrogas". A data é celebrada desde 1999 e tem por objetivo principal a conscientização e a mobilização da sociedade brasileira no que diz respeito aos problemas e às atividades de redução da demanda e oferta das drogas.

Na Igreja católica, a Pastoral da Sobriedade que é o organismo que atua junto aos vitimizados pela dependência química e outras dependências se une à Semana Nacional promovendo nas dioceses e paróquias atividades especiais nessa data. 

Em Santo André (SP), a Pastoral da Sobriedade vai realizar diversas atividades a partir do dia 19 de junho. Na abertura da semana, uma palestra com o psicólogo Vagner com o tema "Drogas e seus efeitos" ocorre  na Paróquia Matriz São José em Ribeiro Pires. Nos demais dias ocorrem missas em paróquias da diocese. No dia 25, sábado, o Denarc promove a palestra “Drogas e seus efeitos”, às 15h, na Paróquia São Pedro e São Paulo, em São Bernardo do Campo. No dia 26, domingo, quando encerra a ação, o Bispo Diocesano Dom Pedro, preside Missa na Catedral Nossa Senhora do Carmo, em Santo André, às 18h.

Outras dioceses também estão organizando atividades para a semana, como é o caso da Diocese de Caçador, em Santa Catarina, que irá realizar ações em parceria com o Conselho Municipal Antidrogas (COMAD).  

“Queremos construir juntos a programação para esta semana para não fragmentarmos atividades mas somarmos forças. Não é a missão do COMAD fazer tudo sozinho, mas sim animar, encorajar, alertar, buscar parcerias e intermediar para que o diálogo aconteça e possamos pensar atividades eficazes à consciência de crianças e jovens”, disse Dom Severino Clasen, bispo da Diocese de Caçador. 

Uso de drogas no mundo e no Brasil 

Anualmente, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) publica um relatório mundial, que reúne todas informações a respeito das drogas, produção, tráfico e consumo de drogas ilegais em todo o mundo.

 

No Brasil cerca de seis milhões de brasileiros são dependentes químicos, o equivalente a 3% da população geral. 

Esse relatório foi criado em Viena no dia 26 de junho, data que ficou instituído o Dia Internacional Contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito. O UNODC busca ressaltar que o problema com a dependência química é algo relacionado a uma condição crônica de saúde, tal como a diabetes ou hipertensão, e que depende de tratamentos e cuidados a longo prazo, não unicamente auxílio momentâneo.

Segundo o último Relatório Mundial sobre Drogas de 2015 que apresenta dados de 2013, o UNODC destaca que o número de usuários de drogas permanece estável. Cerca de 246 milhões de pessoas, ou um pouco mais de 5% da população mundial entre 15 e 64 anos de idade, usaram drogas ilícitas naquele ano. 

No Brasil o índice é de mais ou menos seis milhões de brasileiros dependentes químicos, o equivalente a 3% da população geral. O consumo de maconha foi o que mais cresceu no país. Já o de cocaína dobrou em menos de dez anos, principalmente nas regiões mais ricas, sendo quatro vezes maior que a média mundial, de 0,4%. Em 2005 cerca de 0,7% da população entre 12 e 65 anos consumia cocaína no Brasil. Ao final de 2011, os números aumentaram para 1,75%.

Pesquisas apontam que uma a cada 100 mortes entre adultos, no Brasil, é causada pelo uso de drogas ilícitas. Os jovens, e principalmente os homens, são os principais usuários afetados.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.