Por Redação A12 Em Evangelhos Atualizada em 06 SET 2018 - 09H58

Evangelho em Libras | 23º Domingo do Tempo Comum – Ano B

Reflexão: Padre Marcelo Magalhães - C.Ss.R
Intérprete: Kiara Maria Socuta Quintanilha

(MC 7,31-37)
Naquele tempo, Jesus saiu de novo da região de tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galileia, atravessando a região da Decápole.
Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão.
Jesus afastou-se com o homem, para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e com a saliva tocou a língua dele.
Olhando para o céu, suspirou e disse: “efatá!”, que quer dizer: “abre-te!”
Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade.
Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém.
Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam.
Muito impressionados, diziam: “ele tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós Senhor.

Reflexão
O Evangelho deste domingo nos convida a refletir sobre as diversas formas de alienação que nos impedem de ver a realidade e de transformá-la. Uma pessoa livre é uma pessoa que enxerga a realidade e consegue discernir sobre o bem e o mal. No evangelho vemos Jesus atravessando a região da Decápole, uma região onde estavam muitos miseráveis, pessoas excluídas tanto pela estrutura social quanto religiosa. A prioridade de Jesus é justamente ir ao encontro das pessoas que sofrem para ajuda-las a se libertar de todo sofrimento que pode roubar o que a vida significa. Quando Jesus passava por esta região levaram até ele um homem surdo, que falava com dificuldade, pois falamos o que ouvimos. Quem não fala, não anuncia e não denuncia, por isso, acaba vivendo na opressão. Ensinar uma pessoa a ouvir a leva para um processo de conscientização que possibilita a ela a libertação de qualquer situação que oprime e aliena. Quando Jesus toca o ouvido do surdo e cospe no dedo e com a saliva toca a sua língua, mostra que naquele momento ele tem algo de Deus nele transmitido por Jesus e, por isso, se torna capaz também de anunciar o reino de Deus que Jesus anunciava e de denunciar todas as situações que impedem as pessoas de terem a vida em plenitude, como é vontade de Deus.

.:: Acesse a liturgia do dia

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Evangelhos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.