Por Marília Ribeiro Em Música Atualizada em 04 SET 2017 - 11H24

Arranjador, produtor e guitarrista: Os dons a serviço da fé

Alexandre Pivato o Boyna, tem grande destaque na música católica, seus trabalhos chamam a atenção pela qualidade musical, seja como arranjador, produtor musical ou guitarrista. Recentemente conquistou dois prêmios no Troféu Louvemos 2016, como melhor produtor do ano e melhor arranjador do ano, ambos com o álbum ‘Segredos’ da cantora Ziza Fernandes.

Atualmente Boyna trabalha como arranjador e produtor musical, além de acompanhar as cantoras Ziza Fernandes, Polyana Demori e Andreia Sales. Faz parte de um novo projeto intitulado ‘Entre Nós’, onde cantam juntos padre Fábio de Melo, Ziza Fernandes e o cantor Maninho.

A música e a profissão de Alexandre Pivato "Boyna” há muitos anos caminham juntas, garantido o sustento de sua família e uma importante contribuição para a evangelização.  Conheça um pouco mais sobre Alexandre Pivato na entrevista:

alexandre pivatoHá quanto tempo está na música de evangelização? E como você começou?
Desde os sete anos de idade.   Isso vai dar quase quarenta anos. Eu comecei em um grupo de oração, minha família toda tocava, meu pai, meu tio, meus primos. Eu comecei tocando instrumentos de ritmo.

Você tem uma canção que foi marcante em sua caminhada de fé? 
Tenho várias canções, algumas do padre Zezinho, como Mãe do Céu morena, Utopia, são canções que têm muita verdade em si, enquanto melodia, enquanto letra. São músicas que eu tenho um apreço muito grande por elas. Tem também, algumas músicas mais antigas dos primeiros discos do padre Jonas que ainda eram intitulados Canção Nova, bem bacana.

 

...a evangelização se misturou muito com a minha profissão, e eu não fiz questão de separar.

Você é Guitarrista, arranjador e produtor musical o que significa pra você levar a palavra de Deus por meio do seu trabalho?
Eu não me entendo como missionário, comecei muito cedo na musica cristã.  E de certa forma, em certo momento da minha vida a evangelização se misturou muito com a minha profissão, e eu não fiz questão de separar. Faço o que faço por opção, e por acreditar estar fazendo algo bom com a minha vida.   Então quando eu fui ver, a música cristã tinha virado o meu ‘ganha pão’.  Mas eu acredito que a evangelização vai muito além da música, ela está no nosso modo de viver. Se você me falar de um evangelizador, me vem à mente a irmã Dorothy Stein, que morreu pelo Cristo em defesa dos injustiçados.

Hoje você é mais guitarrista, mais arranjador ou mais produtor musical?
Não me intitulo produtor musical, apesar de as vezes precisar sê-lo rsrsrrsrs .... vamos aprendendo com as necessidades, mas como arranjador sim. Eu fiz a minha pós-graduação em arranjos, sou instrumentista, violonista, toco guitarra.  Mas na verdade hoje eu sou o que for preciso ser, pois sou profissional, e como tal aprendi a separar profissão de meus gostos pessoais.  Mas do que eu mais gosto é arranjo, pois é onde você coloca a mão na massa, tudo o que os músicos vão tocar dentro de um estúdio sai da mão do arranjador.  Arranjador, produtor, cada um tem a sua parte no processo. Nas grandes gravadoras essas funções eram separadas, mas hoje em dia é preciso saber produzir, arranjar. Eu gosto muito de arranjos, estudei para isso, me especializei, nos meus arranjos eu escrevo a parte de todos os instrumentos. O grau de interferência minha nos arranjos é muito grande. Mas há situações também de maior liberdade para o músico, depende muito da situação.

 

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Marília Ribeiro, em Música

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.