Por Redação A12 Em Opinião

O Papa Francisco e o Big Bang

No último dia 28 de outubro, perante mais de oitenta cientistas de prestígio, integrantes da Pontifícia Academia de Ciências, no Vaticano, o Papa Francisco disse que “as explicações científicas para o mundo não excluem o papel de Deus na criação”. “O Big Bang, que hoje é considerado a origem do mundo, não contradiz a intervenção criativa de Deus, pelo contrário, a requer” argumentou. “A evolução na natureza não contrasta com a noção de criação (divina), porque a evolução requer a criação de seres que evoluem” disse o Pontífice.

big bang

A origem da criação do mundo ainda gera vários debates, pesquisas e teorias que possam de alguma forma explicar tal fenômeno. E ainda assegura polêmicas de cunho religioso, filosófico e científico. A explicação mais aceita hoje em dia para a criação do Universo, consta na teoria da Grande Explosão (Big Bang). A Teoria do Big Bang foi anunciada em 1948 pelo cientista russo George Gamow e o Padre Católico e astrônomo belga Georges Lemaitre. De acordo com eles o universo teria surgido após uma grande explosão cósmica aproximadamente 13,7 bilhões de anos atrás.

O Papa Francisco declarou que a teoria científica da evolução do Big Bang está correta e que não é incompatível com a existência de um criador. “Quando lemos sobre a criação no Gênesis, corremos o risco de imaginar que Deus era um mágico com uma vara capaz de fazer tudo. Mas não é isso” afirmou o Papa. Em tempos passados, a Igreja Católica se opôs às primeiras explicações científicas do universo, que contradiziam o relato da criação na Bíblia, condenando o astrônomo Galileu Galilei, no século 17, que mostrou que a terra gira em torno do sol.

 

“A evolução na natureza não contrasta com a noção de criação (divina), porque a evolução requer a criação de seres que evoluem” disse o Pontífice.

Entretanto, ultimamente a Igreja Católica está buscando descartar sua imagem de inimiga da ciência. Por exemplo, em 1950, o então Papa Pio Xll publicou uma carta encíclica intitulada “Humani Generis” (Raça Humana) onde não rejeita que o homem possa ter evoluído como dizia Darwin pelo evolucionismo, mas o autor e portador de todo mérito é Deus. O Papa Pio Xll também defendeu o livro “O Fenômeno Humano” do padre jesuita Teilhard de Chardin, um dos pensadores e cientistas mais destacados dos últimos tempos. Ele era biólogo, paleontólogo, filósofo e teólogo. O citado livro foi uma tentativa de explicar a origem do mundo e da vida conciliando fé e ciência. Em 1996, o santo João Paulo ll reiterou essa posição. Ele disse “a teoria da evolução é mais do que uma hipótese”, e não rejeitou ou condenou o livro “A Origem das Espécies” de Charles Darwin.  Em 2007 no Vaticano o então Papa Bento XVl afirmou “A teoria da evolução pode coexistir com a fé”. Quatro anos mais tarde em 2011, o Papa Bento XVl disse que as teorias científicas da origem e desenvolvimento do universo e dos humanos, embora não entrem em conflito com a fé, deixam muitas perguntas sem respostas. Acredito que a maioria das pessoas concordará com essa afirmação.

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, C.Ss.R.
Missionário Redentorista
Assessor do Regional Nordeste 1 da CNBB

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Opinião

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.