Por Luciana Gianesini Em Redação A12 Atualizada em 22 MAI 2019 - 16H45

Quem foi Santa Branca?

A jovem santinha, padroeira da cidade de mesmo nome localizada na região do Vale do Paraíba (SP), nasceu em Cesareia, na Palestina, na região situada hoje entre as cidades de Tel Aviv e Haifa, em Israel. A região foi uma importante zona portuária do Império Romano.

Seu nome, segundo a tradição, era Albina (daí a tradução para “branca”, em português). Branca tinha apenas doze anos quando morreu, por volta do ano 250 d.C., época em que o imperador Décio ordenara a obrigatoriedade do oferecimento de sacrifícios aos deuses romanos, condenando à morte quem se recusasse a fazê-lo.

Para a jovem Albina, cuja vida foi sempre dedicada à oração, ao jejum e à caridade, foi-lhe dada, entre outras ofertas, a possibilidade de casar-se com um nobre, em troca de sua recusa ao Cristo. Diante da negativa insistente da menina, foram-lhe infligidas severas torturas. Foi até mesmo acusada de bruxaria. Entretanto, ela levou muitas pessoas à conversão.

Diante do fracasso em fazê-la negar sua fé, porém, o imperador mandou então que ela fosse decapitada. Depois, colocou o corpo da menina em um barco, lançando-o ao mar junto com outros martirizados. O barco, então, acabou por chegar à costa italiana, precisamente na cidade de Scauri, onde o corpo da santinha foi recolhido e colocado para veneração em catacumbas, estando lá até hoje, sob o altar da Catedral de Gaeta, onde é possível a veneração.

Os principais registros sobre a vida de Santa Branca estão na Abadia de Monte Cassino, fundada por São Bento, onde foi encontrado um livro do século XI contendo a ‘Passio Sanctae Albinae Virginis et Martyris’ (Paixão de Santa Albina Virgem e Mártir), que relata a história da santa.

Gustavo Cabral
Gustavo Cabral


Sua festa é celebrada em 16 de dezembro. A explicação para a imagem ajoelhada e acorrentada faz alusão à sua vida de oração e martírio, o que nos faz lembrar também de tantas meninas de hoje em dia, aprisionadas, torturadas e exploradas. Que Santa Branca seja sempre modelo de pureza e perseverança na fé em Cristo Jesus.

Fonte: Frei Antonio Rafael Magalhães da Cunha, para o site oficial da Prefeitura Municipal de Santa Branca (SP)

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Luciana Gianesini, em Redação A12

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.