Por Luciana Gianesini Em Redação A12 Atualizada em 27 DEZ 2019 - 11H39

Retrospectiva - parte 2: Os assuntos mais comentados durante o ano no Redação A12

Dando continuidade à retrospectiva dos assuntos mais comentados no Redação A12 ao Vivo em 2019, Padre Camilo e Eduardo Gois falaram de temas importantes para a Igreja no Brasil e no mundo:

:: Curta a nossa página no Facebook

:: Se inscreva em nosso canal do YouTube e ative o sininho das notificações

:: Confira os bastidores no Instagram @Portal A12

Gustavo Cabral/A12
Gustavo Cabral/A12


1. Assembleia Geral da CNBB e as Diretrizes da Ação Evangelizadora no Brasil

Desde 2011, Aparecida sedia as assembleias gerais da CNBB. Neste ano, a assembleia foi eletiva e tratou das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora na Igreja do Brasil. Já no primeiro dia, recebemos Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida, que explicou um pouco sobre o que são essas diretrizes. Dom Orlando esclareceu que as diretrizes são o planejamento, são o conjunto de ações concretas que a Igreja pretende pôr em prática, nos aspectos espiritual e pastoral.

Padre Camilo complementou a explicação do acerbebispo, afirmando que a Igreja está preocupada mesmo com essas mudanças que o mundo exige. De quatro em quatro anos, os bispos reunidos em conferência elaboram as novas diretrizes que, durante esse tempo, vão conduzir a ação pastoral de todas as igrejas particulares, de todas as dioceses. As diretrizes que foram aprovadas neste ano de 2019 na Assembleia da CNBB irão perdurar até o ano de 2023, quando novamente os bispos reunidos em Assembleia vão repensar outras, para que a Igreja continue a sua obra evangelizadora.

:: Reveja a participação de Dom Orlando Brandes no Redação A12 ao vivo

2. A crise migratória na Venezuela

Um assunto muito importante e que foi muito forte ,principalmente no começo do ano, fala sobre a questão dos imigrantes, principalmente os venezuelanos, que todos os dias atravessam a nossa fronteira aqui para o Brasil. Em um dos programas, Eduardo Gois conversou com Dom Mário Antonio, bispo de Roraima, região mais afetada pela imigração, e Dom João José Costa, Arcebispo de Aracaju (SE) e referencial Para a Caritas no Brasil, que são duas das pessoas com maior responsabilidade no que se refere ao acolhimento desses imigrantes. 

Os bispos refletiram o que nós, como Igreja presente no Brasil, como comunidade de fé, comunidade de Jesus, vamos fazer para dar suporte e acolhimento às pessoas que passam por uma situação muito difícil e possibilitar que elas possam reconstruir as suas histórias. Eles afirmam que ninguém sai do seu país por querer. As pessoas saem porque a vida se tornou o valor maior e, para proteger a própria vida e a vida da sua família, as pessoas acabam tendo de abandonar sua terra natal.

Padre Camilo lembrou que, no tópico anterior, Dom Orlando falava que as diretrizes da ação evangelizadora não tratam só do cuidar da alma das pessoas, mas cuidar da vida como um todo. "É ter um olhar para as mais variadas necessidades que tocam o ser humano e como a Igreja está com as portas abertas para acolher os imigrantes, como ela pode proporcionar espaços aonde o imigrante realmente possa reconstruir a sua história", destaca.

:: Recorde a participação dos bispos de Roraima e Aracaju a respeito da crise migratória na Venezuela

3. Santa Dulce dos Pobres

Falando sobre acolhimento, uma pessoa que sempre soube trabalhar muito bem a questão do acolhimento, da caridade e do amor ao próximo foi Irmã Dulce.

Em 2019, a figura de Irmã Dulce ganhou muito destaque devido à sua canonização: Santa Dulce dos Pobres, a primeira santa nascida no Brasil, foi lembrada no Redação A12 ao vivo pelo Padre Pedro Cunha.

Na ocasião, o sacerdote da Diocese de Lorena (SP) disse que "Irmã Dulce não precisava de nenhum milagre para ser canonizada, porque ela mesma era um milagre". Uma mulher franzina, de saúde frágil, passava horas e horas andando pelas ruas de Salvador (BA), ajudando aos mais necessitados.

Padre Pedro Cunha ainda recordou outros momentos emocionantes da vida e do testemunho de Santa Dulce dos Pobres, como o episódio em que ela foi pedir ajuda à Secretaria de Saúde por conta de uma infestação de ratos no local em que ela abrigava os doentes e, tendo seu pedido negado, pôs-se a chorar, por não ter condições sequer de voltar ela mesma para casa, tampouco de ajudar aos doentes naquela situação.

:: Assista novamente à entrevista com o Padre Pedro sobre Santa Dulce dos Pobres

:: Confira a primeira parte da retrospectiva do Redação A12 ao vivo 2019

Assista ao segundo programa da retrospectiva do Redação A12 ao vivo, na íntegra:


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Luciana Gianesini, em Redação A12

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.