Por Redação A12 Em Santo Padre

Vaticano publica documento sobre a relação da Igreja com movimentos carismáticos

O Vaticano publicou hoje (14), a carta intitulada ‘Iuvenescit Ecclesia’, ou seja, ‘Rejuvenesce Igreja’, sobre a relação entre dons hierárquicos e carismáticos para a vida e missão da Igreja, ou seja, a relação entre a hierarquia católica e os vários movimentos de vida cristã existentes dentro da Igreja Católica.

Os dons hierárquicos são aqueles conferidos pelo Sacramento da ordenação (episcopal, sacerdotal e diaconal), enquanto os dons carismáticos são livremente distribuídos pelo Espírito Santo. 

Encontro Nacional de Formação RCC (Thiago Leon)

O documento se detêm sobre questões teológicas, e não pastorais ou práticas, que derivam da relação entre a instituição eclesial e os novos movimentos e agregações, insistindo sobre a harmônica conexão e complementariedade dos dois dons.

"A Congregação para a Doutrina da Fé, com o presente documento, deseja referir-se, à luz da relação entre dons hierárquicos e carismáticos, aos elementos teológicos e eclesiológicos cuja compreensão possa favorecer uma fecunda e ordenada participação das novas agregações na comunhão e missão da Igreja", indica o documento.

A carta lembra a contribuição desses novos movimentos no desenvolvimento de "uma consciência viva da própria vocação cristã, quer itinerários estáveis de formação cristã, quer ainda percursos de perfeição evangélica". 

A carta foi apresentada na manhã desta terça-feira, pelo prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, cardeal Gerhard Ludwig Müller. O documento já havia sido aprovado pelo Papa Francisco em março.

 

“Não é lícito contrapor a uma ‘Igreja do Espírito’ uma ‘Igreja Institucional’, porque os dons hierárquicos e carismáticos estão sempre implicados um no outro”, disse Dom Müller.

Dom Müller salientou que o principal objetivo do documento é refletir sobre o modo como "as novas agregações cristãs podem tomar parte na vida e no esforço missionário de toda a Igreja".

O prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé destacou a necessidade de apostar numa “ordenada comunhão, relação e sinergia”, sem “confrontações estéreis ou justaposições”.

“Não é lícito contrapor a uma ‘Igreja do Espírito’ uma ‘Igreja Institucional’, porque os dons hierárquicos e carismáticos estão sempre implicados um no outro”, concluiu o cardeal.  

A apresentação da carta ‘Iuvenescit Ecclesia’, que em português pode ser traduzida como “Rejuvenesce Igreja”, contou também com a participação do prefeito para a Congregação dos Bispos, cardeal Marc Ouellet.

O prelado sustentou que “apesar das tensões inerentes” à integração dos vários movimentos e carismas na Igreja, “as vantagens têm-se revelado muito maiores do que as dificuldades”.

“Se alguém ainda duvidava da relevância da dimensão carismática na Igreja”, basta “atentar no fato, de 50 anos depois do Concílio Vaticano II, o Espírito Santo e os cardeais terem escolhido um Papa vindo do âmbito carismático”, acrescentou o cardeal, recordando a ligação de Francisco à Companhia de Jesus.

Leia o documento na íntegra. 

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.