Por Redentoristas Em Notícias Atualizada em 08 MAR 2019 - 14H20

Celeste e Antonia, modelos de vocação e de espiritualidade feminina

A12.
A12.

Maria Celeste Crostarosa e Antonia Maria da Misericórdia nasceram em épocas diferentes, mas tinham em comum o amor ao Santíssimo Redentor.

A beata Celeste Crostarosa foi uma mulher de cabeça e coração. Possuía uma profunda espiritualidade, inteligência aguçada, visão cristológica abrangente e bom senso nas práticas cristãs. Escreveu diversas obras teológicas, ascéticas e místicas.

:: Celeste Crostarosa, fundadora das Monjas Redentoristas

:: Modelo de vida redentorista 

Por meio de suas obras, conhecemos uma parte importante do caminho interior da mulher, religiosa, fundadora e mística que, por uma série de circunstâncias, ainda hoje é desconhecida. Como mulher, soube superar as dificuldades de seu tempo, e sua obra merece um lugar de destaque na história da espiritualidade cristã.

Conduzida pelo Espírito Santo, fundou a Ordem do Santíssimo Redentor, em 1731. “O Pai escolheu este Instituto para que seja para o mundo recordação viva de tudo que seu filho Unigênito operou para sua salvação”, escreveu Crostarosa.


Beata Celeste Crostarosa, junto a ela o emblema da Congregação do Santíssimo Redentor.

Madre Antonia Maria da Misericórdia pertence às grandes figuras femininas do século 19. Era uma mulher com uma cultura avançada para o seu tempo. Muito inteligente, tinha instrução tanto em matérias de religião quanto em outras ciências, e dominava cinco idiomas. Por isso, foi convidada a ser educadora de três princesas da Corte Espanhola.

Madre Antonia também fundou uma ordem religiosa dedicada a viver e espalhar o amor de Jesus Redentor. A missão da Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, desde a sua fundação tem um trabalho junto às mulheres em situação de prostituição. É nelas que deseja que suas filhas "vejam a imagem do Redentor".

“Não somos religiosas que cuidam de meninas, mas somos mães e professoras de meninas e, para tornar este ofício sagrado, somos religiosas”, dizia Madre Antonia.

:: A religiosa que evangelizou as mulheres prostituídas

:: Uma freira entre as prostitutas

Sua espiritualidade centrada em Jesus Redentor, compassivo e misericordioso, se desdobra e se entrega como expressão da ternura de Deus, estabelecendo relações de gratuidade e liberdade com as mulheres. A partir do olhar de Jesus, Madre Antonia impulsiona a converter a dor e a indignação diante da injustiça na entrega permanente e solidária, como afirmação da vida e libertação. 

Reprodução
Reprodução
Madre Antonia Maria da Misericórdia deixou um legado que persevera até os dias atuais.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redentoristas, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.