Por Thamara Gomes Em Notícias

A vocação do diácono

Nós, da Pastoral Vocacional Redentorista, procuramos sempre esclarecer aos jovens as dúvidas sobre o processo de discernimento vocacional e também sobre os diversos tipos de chamado. Já respondemos algumas dúvidas sobre matrimônio, sobre a vida religiosa feminina e sobre a vocação leiga. Hoje, vamos falar sobre outra vocação específica: a vocação do diácono.

Afinal, o que é o diaconato? Quem é chamado a servir como diácono? 

Convidamos o presidente da Comissão Nacional dos Diáconos, Zeno Konzen, para nos ajudar a explicar a missão dos diáconos da Igreja. Ele é casado, tem três filhos e sempre foi atuante em sua comunidade, na cidade de São Leopoldo (RS).

Foto de: Comissão Nacional dos Diáconos

Diáconos de Ribeirão Preto (Foto: Comissão Nacional dos Diáconos)

A arquidiocese de Ribeirão Preto recebeu, no mês
de julho, doze novos diáconos permanentes.

Para começar, é preciso entender que a vocação ao diaconato abrange três dimensões muito importantes: familiar, profissional e eclesial. Isso porque o diácono permanente é, ao mesmo tempo, pai e esposo, exerce normalmente uma profissão e se consagra à comunidade eclesial pelo sacramento da Ordem.

Sabemos que vocação é chamado, e é Deus quem chama. O convite de Deus acontece, então, em vista de uma missão específica, por isso, exige adesão consciente da fé e da vida do vacacionado. Embora a vocação surja de um chamado de Deus, ele o faz normalmente através de caminhos ligados à realidade em que se vive. O chamado é colhido por pessoas concretas, cada qual com sua história, suas limitações e suas qualidades.

Zenon explica como se dá esse chamado, por parte da Igreja, ao diaconato. 

Vocação é serviço, e com o diaconato não é diferente. Aquele quem é chamado ao diaconato deve ser sinal sacramental de um Cristo-Servo, é portanto alguém que se dispõe, que está atento às necessidades da comunidade. 

A vocação é igualmente um dom para a Igreja e para o próprio vocacionado. Hoje, as normas da Igreja fazem algumas exigências para o diaconato permanente, como formação mínima, idade mínima de 35 anos, o candidato deve estar casado, entre outras. No entanto, há poucos dias, o Papa Francisco decidiu instituir a Comissão de Estudo sobre o Diaconato das mulheres. No mês de maio, o Santo Padre já havia demonstrado a intenção de dialogar sobre este assunto perante às participantes da Assembleia Plenária das Superioras Gerais.

O Presidente da Comissão Nacional dos Diáconos comentou o assunto. 

Clique aqui e tire suas dúvidas sobre o diaconato.

4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Thamara Gomes, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.