Por Santuário Nacional Em Notícias Atualizada em 27 MAR 2018 - 10H56

Ano Santo da Misericórdia é encerrado no Santuário de Aparecida

Com o encerramento do Ano da Misericórdia, a Porta Santa do Santuário Nacional de Aparecida foi fechada simbolicamente na manhã deste domingo, dia 13 de novembro, após a celebração das 7h30, realizada no Altar Central. 

A missa foi presidida pelo Cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis e presidida por inúmeros bispos, entre eles, Dom João Costa presidente da Cáritas Brasileira. Após a missa, uma procissão formada pela equipe de celebração saiu em direção à Porta Santa; junto ao cortejo conduzida pelo reitor do Santuário Nacional estava a Imagem da Padroeira do Brasil. Diante da Porta Santa, o Cardeal Raymundo Damasceno rezou em silêncio por alguns minutos até que os seguranças do Santuário fecharam a Porta e a lacraram com um cadeado. O rito marcou o encerramento do Ano Santo da Misericórdia promulgado pelo Papa Francisco, em dezembro de 2015. 

Na homilia, que encerrou o Ano Santo na Arquidiocese de Aparecida, o Cardeal recordou a inspiração do Papa Francisco e a oportunidade que ofereceu aos católicos neste período solene. 

"Há um ano, por uma inspiração nascida no coração do nosso Papa Francisco vivemos um tempo forte na Igreja, celebramos o Ano Santo da Misericórdia. Em todas as dioceses do mundo foram abertas ‘portas santas’, também chamadas ‘portas da misericórdia’. Essas portas manifestavam a grandeza da misericórdia de Deus que é sempre maior que qualquer pecado. Quem passava por essas portas era chamado a experimentar o amor de Deus que consola, perdoa e dá esperança", disse. 

 

"Quantas pessoas, ao cruzar o limiar da Porta Santa, fizeram uma experiência da misericórdia do próprio Deus!", frisou Dom Raymundo Damasceno. 

Dom Raymundo enfatizou a grandeza desse Ano que favoreceu inúmeras demonstrações de fé e de amor, desde crianças a idosos. "Quantas pessoas, ao cruzar o limiar da Porta Santa, fizeram uma experiência da misericórdia do próprio Deus!", frisou. O Cardeal exortou os fiéis enfatizando que a misericórdia deve ser traduzida em "atitudes de vida e de compromisso, dentro de nossos lares, depois em nossas relações fraternas até chegar ao nosso comportamento social". 

Sem o perdão, atitude primordial daquele que deseja viver a misericórdia, resta apenas uma uma "vida infecunda e estéril, como se vivêssemos em um deserto desolador", afirmou Dom Raymundo. 

Por fim, assinalou a feliz coincidência do encerramento do Ano da Misericórdia dentro da vivência do Ano Mariano no Brasil. "É providencial que ao concluirmos o Ano da Misericórdia estejamos vivendo o Ano Mariano Nacional e o Jubileu dos 300 anos do encontro da imagem da Virgem da Conceição Aparecida. A doçura do seu olhar materno nos acompanha... A Mãe do crucificado-ressuscitado entrou no santuário da misericórdia porque participou e testemunhou intima e profundamente do mistério do seu amor".

Após a realização desse ano, Dom Raymundo indicou aos fiéis confiar na Mãe da Misericórdia, a Virgem Aparecida, e seguindo seu exemplo, entregar-se nas mãos do Senhor. 

"Somos todos chamados como Nossa Senhora a abandonarmo-nos nas mãos do Senhor e, ainda que pequenos e frágeis, confiarmos e deixarmo-nos surpreender por Deus. Ele nunca se cansa de escancarar a porta do seu coração, para repetir que nos ama e deseja partilhar conosco a sua vida", finalizou. 

Encerramento do Ano da Misericórdia e fechamento da Porta Santa no Santuário Nacional (Foto Thiago Leon)
Milhares de fiéis aproveitaram a celebração da manhã para fazer suas orações e passar pela Porta Santa antes de seu fechamento (Foto: Thiago Leon). 

A Porta Santa do Santuário Nacional esteve aberta desde o dia 13 de dezembro do ano de 2015. Durante todo o Ano Santo, os fiéis foram convidados à conversão por meio da vivência da misericórdia, especialmente através da realização das Obras de Misericórdias Espirituais e Corporais e a fazerem o ritual de passagem pela Porta da Misericórdia para obterem a Indulgência Plenária. 

Fechamento Simbólico - A Porta Santa da “Casa” da Mãe Aparecida foi fechada simbolicamente nesse ano 2016, no entanto, devido o grande fluxo de devotos e também as celebrações especiais ao longo do Ano Litúrgico, a porta ficará aberta para que possa ser utilizada.  A Pastoral do Santuário explica "que todos os dias é tempo de misericórdia, é tempo da graça de Deus, é tempo oportuno de nos entregarmos ao amor de Jesus Bom Pastor".

:: Veja como foi a abertura da Porta Santa em 2015

Significado da arte da Porta Santa - Do lado externo da Porta Santa é destacada a Anunciação à Maria, com a imagem do Anjo Gabriel que traz na mão um coração com uma cruz no meio, esse é o coração que o próprio Pai oferta aos homens e mulheres, é o coração de Cristo que Maria aceita para a humanidade. Também está presente as letras do alfabeto grego Alfa e Ômega que representam o próprio Cristo, Ele que é o princípio e o fim.

Sobre o lado interno da Porta Santa, que quando aberta fica em evidência na arte, são destacadas duas parábolas e dois Salmos. A parábola do filho pródigo, que recorda o jovem que depois de esbanjar sua herança volta para a casa do Pai e o Pai o acolhe. A outra parábola é a do Bom Pastor, que carrega a ovelha perdida nos ombros, essa imagem representa a própria figura da misericórdia, pois Ele carrega verdadeiramente a todos nos ombros. 

Os dois Salmos citados na Porta Santa são o 122: “Que alegria quando nos disseram, vamos à casa do Senhor”, e o 99: “Nós pertencemos a Ele e Ele cuida de nós”.

Outro detalhe artístico da Porta Santa é a representação do sol e da lua que significa Deus.


7 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Santuário Nacional, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.