Por Martín Ugarteche Fernández Em Artigos Atualizada em 29 NOV 2019 - 08H23

Nossa Senhora Mediadora ou Medianeira

Nossa Senhora Mediadora ou Medianeira é um dos títulos que recebe a Mãe de Deus e Nossa, significando que Ela “com a sua multiforme intercessão, continua a alcançar-nos os dons da salvação eterna” (Lumen Gentium, 62).

Nesse sentido, o Papa São João Paulo II, na sua Encíclica Redemptoris Mater, explica que “a mediação de Maria está intimamente ligada à sua maternidade e possui um carácter especificamente maternal, que a distingue da mediação das outras criaturas” (Redemptoris Mater, 38).

Arquidiocese de Belém
Arquidiocese de Belém

É muito importante para todo cristão entender que a mediação de Maria não compete com a de Cristo, quem é, como escreve São Paulo, o “único mediador entre Deus e os homens” (1Tm 2,5). O próprio São Paulo, um pouco antes, na sua Primeira Carta a Timóteo, recomenda “que se façam pedidos orações, súplicas e ações de graças, por todos os homens” (1 Tim 2,1). Todo membro do Corpo de Cristo, então, está chamado a ser um mediador dos seus próximos, não competindo com Cristo, mas subordinado a Ele, como Cabeça do seu Corpo, que é a Igreja. E Maria participa dessa mediação de Cristo de uma maneira toda especial, como Mãe que é do Cristo Cabeça e também de todos os seus membros e de todos os que ainda não foram batizados, mas estão chamados a também acolherem o Evangelho do seu Filho.

Leia Mais

Poderíamos nos perguntar: mas por que esta mediação subordinada? Acaso Jesus não poderia fazer isso sozinho, sem necessidade de mais ninguém? A resposta a segunda pergunta é afirmativa: se nos mantivéssemos no nível das necessidades objetivas, Jesus poderia, se quisesse, realizar Ele sozinho, sem a colaboração de nenhuma criatura, a sua obra de Salvação. Acontece que Ele quis “necessitar” da mediação subordinada, aquela maternal, toda especial de Maria, e também da nossa humilde e pequena colaboração, pela nossa oração e o nosso apostolado, para que todos os homens se salvem.

Para concluir, citamos novamente o Papa São João Paulo II, desta vez em uma das suas famosas catequeses marianas, falando sobre a mediação de Maria:

“Na verdade, o que é a mediação materna de Maria senão um dom do Pai à humanidade? (...) Maria desempenha a sua ação materna em contínua dependência da mediação de Cristo e d’Ele recebe tudo o que o seu coração desejar transmitir aos homens. Na sua peregrinação terrena, a Igreja experimenta “continuamente” a eficácia da ação da “Mãe na ordem da graça”". (Maria Medianeira, Audiência do dia 1 de outubro de 1997).

Escrito por
martín ugarteche (Arquivo Pessoal)
Martín Ugarteche Fernández

Nasceu em Lima, Peru, no ano de 1978. É membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1996. Desde 2001 mora em Petrópolis, na Comunidade Sodálite "Mãe da Reconciliação", onde desenvolve diversos projetos de formação e evangelização da cultura. É professor de filosofia na Universidade Católica de Petrópolis, onde leciona Ética, Lógica e Filosofia da Natureza.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.