Por Ulisses Ramiro Em Palavra do Associado

Maria: Suave Esperança!

300 anos de devoção à Nossa Senhora Aparecida


Thiago Leon
Thiago Leon

Oh, doce brisa que sopra em meu rosto!
És tu, Mãe, suave murmúrio a sussurrar poesia em meus ouvidos.

Oh, alvo regato de doces águas cálidas!
Sois vós, Mãe, a acariciar meus descalços pés, cansados dos caminhos tortuosos.

Tu és meu descanso, és meu sossego, és meu alento, refrigério de minh’alma.

Em vós deposito meus anseios e tu me confortas;
Em vós deposito minhas dúvidas e tu me esclareces;
Em vós deposito todo meu ser, confiando em vossa proteção, e tu me guardas.

Sou vosso filho; quero deitar-me em seu colo!
Sois minha Mãe; consola meu choro.
Todo meu ser clama por paz e tu me acorre.

Esperança de novos dias, és aurora reluzente!
És certeza de bonança, calmaria dos aflitos.
Sois Mãe de todos e em Tu somos todos irmãos.

Por vossas suaves mãos me conduz seguro.
E com vós rumarei tranqüilo ao canteiro de flores, Jesus.
Pois se os caminhos são árduos, tu és esperança.
Se os caminhos são pedregosos, tu és conforto.
Se espinhos há no caminho, nos ensina que o sofrimento de Jesus foi maior.

Oh, suave esperança,
Aurora de um novo tempo;
Mãe da alegria, contemplação da salvação!
Alegria dos sofridos e apego dos esquecidos.
És tu, oh Maria Santíssima, Mãe de todos e de todas as horas.
Salve, agraciada, Nossa Senhora Aparecida. Amém!

por Ulisses Ramiro
Associado da Academia Marial de Aparecida

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Ulisses Ramiro, em Palavra do Associado

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.