Revista de Aparecida

A Eucaristia nos transforma em Cristo

Escrito por Pe. Domingos Sávio da Silva, C.Ss.R.

01 DEZ 2023 - 00H05

João Pedro Oliveira - A12

No mês passado, meditávamos que o Pai nos une vitalmente a Seu Filho encarnado: nós-Membros formando com Ele-Cabeça, um Corpo único. E n’Ele-Cabeça, que retorna para a plena unidade e convivência com o Pai e o Espírito, somos já fundamentalmente levados para dentro daquela mesma intimidade trinitária, nossa definitiva morada.

E o que cabe a nós, ainda peregrinos na terra, é tudo fazer para crescer “em direção Àquele que é a Cabeça, o Cristo” (Ef 4,15). Reforçar, o mais que pudermos, essa vital união com Ele. É o que temos buscado assimilar da mensagem da Fachada Sul do Santuário, toda focada em Jesus e em Sua missão.

Buscamos nos ajudar na passagem da Fachada Norte para a Sul. Pois o Êxodo libertador da Fachada Norte consuma-se na Fachada Sul com Jesus nos inaugurando o caminho até a definitiva Terra Prometida, o seio da Trindade.

E neste último mês, meditemos sobre o melhor caminho que o próprio Jesus nos deixa, de progresso nessa vital união com Ele, que é a Eucaristia. São Paulo nos provoca: “O cálice da bênção que abençoamos não é comunhão com o sangue de Cristo? E o pão que partimos não é comunhão com o corpo de Cristo?” (1Cor 10,16).

A Eucaristia é a comunhão de meu sangue e de meu corpo com o Sangue e Corpo de Jesus. União de sangues na qual prevalece e Se impõe o mais forte. Santo Agostinho coloca nos lábios de Jesus palavras que Ele diria a quem O comunga sacramentalmente: “não me mudarás em ti como o alimento de teu corpo, mas tu te mudarás em mim!”.

Eu sou mais forte que os alimentos que tomo diariamente. Assim eu os assimilo, transformo-os em mim, em minha carne, ossos etc. Quanto a Jesus-Eucaristia, felizmente dá-se o exato contrário: Ele-Pão é mais forte que eu, e assim me transforma n’Ele.

Meu sangue vai sendo transformado sempre mais no Sangue de Jesus. E o Sangue d’Ele atinge Sua plenitude quando vive a total gratuidade do Amor, derramando-Se na paixão-morte de cruz por nós e nossa salvação.

Meu corpo vai tornando-se como o d’Ele, que Se entregou por completo pela salvação de todos. Vamos nos apropriando de Sua vida redentora em favor dos irmãos.

Ou, como membros sempre mais Seus, vitalmente unidos a Ele e ainda presentes no mundo, por nós Ele continua doando-Se à humanidade: “Agora me alegro com os sofrimentos que suporto por vós e vou completando em minha carne o que falta aos sofrimentos de Cristo, em favor de seu Corpo, que é a Igreja” (Cl 1,24).

A Igreja, por sua Liturgia, vai nos inserindo sempre mais na compreensão e vivência desse mistério: “Possamos, ó Deus onipotente, saciar-nos do pão celeste e inebriar-nos do vinho sagrado, para que sejamos transformados naquele que agora recebemos” (Oração Final do 27º Domingo do Tempo Comum).

Que também pela arte dos mosaicos, retratando a Páscoa ou o itinerário salvador de Jesus entre nós, a Fachada Sul nos revele o “bem supremo que é o conhecimento do Cristo Jesus”, nosso Senhor, e mais, leve-nos a tudo fazer para sermos encontrados unidos, e sempre mais unidos a Ele (cf. Fl 3,8s.)!

  • O que é a Eucaristia para você?
Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Domingos Sávio da Silva, C.Ss.R., em Revista de Aparecida

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Carregando ...