Código Personalizado
Revista de Aparecida

A Missão de ir aos mais necessitados como carisma Redentorista

Santo Afonso Maria de Ligório, inspirado por Deus, fundou a Congregação Redentorista foi com o claro objetivo de anunciar a Copiosa Redenção a todas as pessoas

Escrito por Pe. Marlos Aurélio da Silva, C.Ss.R.

07 OUT 2022 - 07H22 (Atualizada em 10 JAN 2023 - 14H35)

Quando em 1732, no sul da Itália, em Nápoles, Santo Afonso Maria de Ligório, inspirado por Deus, fundou a Congregação Redentorista foi com o claro objetivo de anunciar a Copiosa Redenção a todas as pessoas, mas, especialmente, aos abandonados e aos mais pobres!

Portanto, isso explica tantos meios que os Missionários Redentoristas utilizam para que seja alcançada essa meta. Obviamente que ninguém está excluído da ação missionária que a Congregação realiza, bem como da ação evangelizadora da Igreja. Mas para mantermos a fidelidade evangélica ao Redentor, temos de estabelecer uma prioridade em nosso agir apostólico, que necessariamente vai na direção dos mais abandonados. Há mais de dois mil anos a Igreja tem essa convicção e prática!

É importante destacar que a missão dos redentoristas, que privilegia os mais necessitados, não tem motivação ideológica nem político-partidária, nem mesmo visa um mero assistencialismo ou um agir semelhante ao de uma ONG. O princípio fundante de tudo está na fé em Jesus Cristo que, “sendo rico se fez pobre” (2Cor 8,9) e dedicou sua vida a todas as pessoas, mas sobretudo aos mais empobrecidos para revelar-lhes o quanto eram amados e queridos por Deus.

Ademais, a fé cristã nos faz acreditar que Deus criou o mundo e tudo o que nele existe para todas as pessoas, ou seja, a desigualdade social existe não porque Deus quer, mas por causa da ambição e do egoísmo humano. Por conseguinte, a dignidade de filhos de Deus já nos está assegurada, mas ela precisa ser corroborada na vida em sociedade, e isso depende de nós (mormente de quem crê em Jesus) e das relações que estabelecemos com nossos semelhantes. Se todos vivessem com o suficiente, não haveria necessitados entre nós!

O Evangelho continuamente nos provoca para a partilha e a justiça; daí a importância que ele seja anunciado e divulgado a todos os rincões da terra!

De modo, então, que os missionários redentoristas devem, em seu trabalho missionário, “atender de modo especial os pobres, mais fracos e oprimidos, cuja evangelização é sinal da obra messiânica (cf. Lc 4,18) e com os quais o Cristo mesmo quis, de certa maneira, identificar-se (cf. Mt 25,40)” (Const. 4).

Será dessa forma que estaremos sendo fiéis ao Redentor e à nossa vocação missionária, conforme foi sonhada e delineada por Santo Afonso!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Marlos Aurélio da Silva, C.Ss.R., em Revista de Aparecida

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.