Por Victor Hugo Barros Em Revista de Aparecida Atualizada em 12 OUT 2023 - 13H29

Romeiros trocam olhares com Nossa Senhora no dia 12 de outubro em Aparecida

Para pedir e agradecer, devotos visitam Nicho que abriga a Imagem da Padroeira do Brasil no dia de sua Festa

Victor Hugo Barros
Victor Hugo Barros
Devotos visitam Nicho de Nossa Senhora no dia da Festa da Padroeira


O sol ainda não havia raiado neste dia 12 de outubro e a fila para visitar o Trono que abriga a Imagem original de Nossa Senhora Aparecida, no interior da Basílica Nacional, já estava formada. O local está no roteiro de todos os devotos que visitam o Santuário de Aparecida neste feriado da Padroeira do Brasil. É neste espaço que os peregrinos, após chegarem ao Santuário, fazem questão de passar.

Victor Hugo Barros
Victor Hugo Barros
Devotas Shilery da Silva Gabriel e Regiane de Fátima, de São José dos Campos (SP)


A primeira coisa que a gente fez foi visitar Nossa Senhora no Nicho”, conta Shilery da Silva Gabriel, que veio a pé de São José dos Campos com sua amiga Regiane de Fátima. Elas caminharam por dois dias, realizando um verdadeiro retiro espiritual.

A caminhada é uma terapia intensiva com Jesus. A gente pede para Nossa Senhora nos carregar e vamos falando com Jesus”, completa Regiane.

O grupo, com mais de 500 pessoas, reúne diversas pessoas que caminham de São José dos Campos ao Santuário Nacional. “No nosso grupo temos pessoas de Salvador, Fortaleza e Argentina”, explica.

Como companhia das peregrinas estava um cajado com diversos nomes. “Tem a assinatura de pessoas que pediram orações, curas. A gente faz (a romaria) também por eles, por todo mundo”, explica Shirley.

Entre eles, um é especial para ela. “Há anos venho com minha sobrinha que agora está em Portugal. Como ela não veio, coloquei o nome dela aqui”, comenta.

Victor Hugo Barros
Victor Hugo Barros
Devoto Renato Xavier, de Santa Branca (SP)


O cajado também acompanhou Renato Xavier por três dias de caminhada, de Santa Branca (SP) a Aparecida. Na fila para visitar o Nicho da Imagem, ele aguardava para finalizar sua peregrinação.

“Não esquento a cabeça nem com a fila, nem com a caminhada. O que manda é a fé. Quando a gente tem fé no peito, a gente não rejeita nada”, declara.

Victor Hugo Barros
Victor Hugo Barros


Apesar disso, ele não esconde sua ansiedade para trocar olhares com a Imagem da Padroeira do Brasil. “A gente não vê a hora de chegar lá e agradecer a Santa por tantas coisas que ela fez na minha vida, pedir bençãos para minha família e amigos. É algo que vem de dentro da gente mesmo”, define Renato.

Um dos agradecimentos que o romeiro traz em seu coração é pela sua vida, que quase teve fim. “Sofri um acidente de moto e meu capacete rachou. Quando a kombi bateu em mim só deu tempo de chamar Nossa Senhora. Fiquei dois dias e duas noites na UTI, mas saí sem nenhuma sequela, graças a Deus”, comemora.

Victor Hugo Barros
Victor Hugo Barros
Devoto Fellipe Bragiato Costa, de São Paulo (SP)


Diante da Imagem, a saúde também é o motivo da peregrinação de Fellipe Bragiato Costa, de São Paulo (SP). “Nossa Senhora me ajuda bastante. Minha mãe está passando por um problema de saúde e nossa fé nos leva onde for preciso”, afirma.

O romeiro, que veio de carro durante a madrugada, saiu do trabalho diretamente para Aparecida. “Tinha desistido de vir e depois senti que tinha que estar aqui. Aí motivei meu amigo e falei: vamos lá. E vim, graças a Deus”, recorda.

Depois de horas de estrada, ele também enfrentou meia hora de fila até ficar diante da Imagem de Nossa Senhora Aparecida. No silêncio da oração, o olhar traduz a gratidão pelas bençãos da Padroeira.

“Não tem palavras, a gente só sente. Posso falar mil coisas, mas não vai descrever”, confidencia Fellipe. “É uma sensação que não tem explicação. Você se sente acolhido”.

Victor Hugo Barros
Victor Hugo Barros
Devota Luana Luanda, de Caçapava (SP)


O olhar emocionado também traduziu os sentimentos da peregrina Luana Luanda, de Caçapava (SP). Ela não conteve as lágrimas ao contemplar a Virgem Aparecida.

“É muita emoção. O coração bate mais forte por estar aqui, conseguir olhar para a Imagem de Nossa Senhora e saber que o que ela remete é muita paz e esperança para uma humanidade melhor”, exclama Luana.

A relação da devota com Nossa Senhora Aparecida é antiga, uma verdadeira herança familiar. “Tenho fé nela desde criança, aprendi com a minha mãe”.

Essa mesma fé ela agora transmite para sua família. “Minha filha mais velha foi batizada aqui no Santuário por causa de uma promessa. Foi em outubro de 2005, na semana de Nossa Senhora”, rememora Luana.


Para vir ao Santuário, ela realizou parte do trajeto a pé e outra parte de carro. Quando faltava a força do corpo, a fé e a solidariedade foram o combustível para a peregrinação.

“O que marca a gente no caminho são os pontos de apoio que são muito importantes. Reforçam a força para a gente chegar até aqui, pois é a fé que move as pessoas. Vi gente de todas as idades e todo mundo com a mesma motivação: concluir o trajeto e chegar aqui, conseguir expressar com uma oração ou um olhar a fé e a emoção que Nossa Senhora nos traz”, declara.

Além do apoio no caminho, o Santuário Nacional também fornece uma estrutura de acolhida aos devotos que visitam a Capital Mariana do Brasil. Além da Tenda dos Peregrinos - preparada especialmente para o período festivo - outros serviços também são disponibilizados para os romeiros.

“Há muitas pessoas que se preparam o ano todo para aqui estar neste dia 12, para falar com Nossa Senhora, para pedir as suas bênçãos, as suas graças, e é claro que nós acolhemos. Nossa Senhora também acolhe. E o Santuário Nacional, como sempre, coloca todas as suas estruturas para bem acolher, porque acolher bem também é evangelizar", explica o ecônomo-adjunto do Santuário Nacional, irmão Carlos Cunha.

Para a acolhida e realização da Festa, a Casa da Padroeira do Brasil conta com o auxílio da Família dos Devotos. Graças ao amor dos devotos de todo o país, o Santuário pode festejar, com alegria, mais um 12 de outubro.

Victor Hugo Barros
Victor Hugo Barros


"Toda esta festa que nós preparamos para cada devoto de Nossa Senhora, nós contamos com a parceria de uma grande família. E quem é essa família? A Família dos Devotos, nossa parceira na obra de evangelização, manutenção, construção e também nas obras sociais. Portanto, à Família dos Devotos, nossa gratidão! É com ela que nós preparamos esta bonita Festa para cada romeiro que aqui vem", agradece Irmão Carlos.

De acordo com o Santuário Nacional, a expectativa é de que a movimentação deste ano supere a de 2022. No último ano, mais de 300 mil pessoas visitaram a Basílica da Padroeira do Brasil durante o período da Novena e Festa.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...