Por Redação A12 Em Notícias Atualizada em 29 OUT 2019 - 10H00

Projeto “Resgate a Infância” garante educação e proteção

Shutterstock
Shutterstock


O projeto
“Resgate a Infância” foi desenvolvido pela Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (COORDINFÂNCIA) do Ministério Público do Trabalho (MPT) e idealizado a partir dos eixos “educação”, “políticas públicas” e “profissionalização”.

Leia MaisExploração Sexual: o perigo à beira das estradas brasileirasProjeto leva temática do trabalho infantil à rede pública de ensinoComo a Lei trata a situação de crianças e adolescentes que querem jogar futebol?Trabalho artístico de crianças deve seguir regrasJovem Aprendiz: profissionalização e combate ao trabalho infantilQuase 2 milhões de crianças e adolescentes trabalham de forma ilegal no Brasil O intuito do projeto é combater e prevenir o trabalho infantil, conscientizar a sociedade, proteger o trabalhador adolescente e, principalmente, criar políticas públicas, sendo essas um conjunto de ações e atividade desenvolvidas pelo Estado, de forma indireta ou direta, que visam assegurar algum direito de cidadania, nesse caso, protegendo, educando as crianças e adolescentes e combatendo o trabalho infantil nos municípios.

As ações desenvolvidas pelo programa podem variar desde promover capacitações do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS); contratar jovens aprendizes; implementar programas de qualificação profissional de adolescentes; aderir ao programa “Mais Educação” do Ministério da Educação; realizar ações com sociedade civil e órgãos públicos de busca e resgate de crianças e adolescentes explorados no trabalho; a garantir, em orçamento municipal, verbas suficientes para implementação de programas municipais de erradicação do trabalho infantil e adolescente.

O projeto também faz o incentivo à formação profissional e inserção de adolescentes no mercado de trabalho, que é, no caso, a cota de aprendizagem prevista na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Além do “Resgate a Infância”, existe o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), que faz parte das ações e políticas públicas que os municípios podem realizar, implementando o programa.

O PETI é uma ação do Governo Federal que surgiu em 1996 e foi rapidamente ampliada para alcançar progressivamente todo o país; é um esforço do Estado Brasileiro para a implantar políticas públicas voltadas ao enfrentamento do trabalho infantil, atendendo às demandas da sociedade.

O trabalho infantil, segundo o Plano Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) e Proteção ao Trabalhador Adolescente, é toda atividade econômica ou atividade de sobrevivência realizada por crianças ou adolescentes em idade inferior a 16 anos, exceto na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos, sejam elas remuneradas ou não, com ou sem finalidade de lucro.

Projetos como o “Resgate à Infância” do MPT são necessários para que a sociedade discuta, de forma ampla, a importância de medidas que garantam a crianças e adolescentes a proteção e a educação necessárias, além de combater de forma direta o trabalho infantil.

Fonte: MPT

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.