Por Cankin Ma Lam Em Crescendo na Fé Atualizada em 26 AGO 2020 - 09H45

"Família, torna-te aquilo que és!": 4 desafios para a vocação familiar hoje

Shutterstock/Dream Perfection
Shutterstock/Dream Perfection


O foco de
atenção na família não é novidade para a Igreja. Basta olhar para o fato de que Deus quis Se encarnar no seio de uma família: ter pai e mãe, ser uma criança, participar da vida do seu povo. Nas últimas décadas, a Igreja dirigiu sua atenção para os desafios da vocação familiar no terceiro milênio. A frase que intitula este post foi tomada de um texto muito rico, escrito por São João Paulo II: a Exortação Familiaris Consortio (FC).

Vejamos o que ele mesmo diz para as famílias do nosso tempo:

"No plano de Deus, Criador e Redentor, a família descobre não só a sua ‘identidade’, o que ‘é’, mas também a sua ‘missão’, o que ela pode e deve ‘fazer’. (...) Cada família descobre e encontra em si mesma o apelo inextinguível, que, ao mesmo tempo, define a sua dignidade e a sua responsabilidade: Família, ‘torna-te aquilo que és’!"

Leia Mais3 dicas para um bom relacionamento em famíliaQual a importância da família para os cristãos?Em tal sentido, partindo do amor e em permanente referência a ele, o recente Sínodo pôs em evidência 4 deveres gerais da família:

1) a formação de uma comunidade de pessoas;

2) o serviço à vida;

3) a participação no desenvolvimento da sociedade;

4) a participação na vida e na missão da Igreja. (FC, 17)

O desenvolvimento de cada ponto é maravilhoso (recomendo separar um tempo para ler a Exortação completa!). Vejamos abaixo breves ideias que aprofundam cada um dos quatro desafios citados por João Paulo II.

Shutterstock
Shutterstock


1) A formação de uma comunidade de pessoas.

No primeiro ponto, o Papa lembra que o amor é "princípio e força de comunhão". Pois "a família, fundada e vivificada pelo amor, é uma comunidade de pessoas: dos esposos, homem e mulher, dos pais e dos filhos, dos parentes. A sua primeira tarefa é a de viver fielmente a realidade da comunhão, num constante empenho por fazer crescer uma autêntica comunidade de pessoas" (FC, 18).

Shutterstock
Shutterstock


2) O serviço à vida.

Entendido, sobretudo, com relação ao direito da família de "exercer as suas responsabilidades no âmbito de transmitir a vida e de educar os filhos" (FC, 46). Fundamentado numa visão do homem e da mulher como "cooperadores do amor de Deus Criador" (FC, 28).

Shutterstock/ Monkey Business Images
Shutterstock/ Monkey Business Images


3) A participação no desenvolvimento da sociedade.

Fundada na missão social da família. "‘Pois que o Criador de todas as coisas constituiu o matrimônio princípio e fundamento da sociedade humana’, a família tornou-se a ‘célula primeira e vital da sociedade’" (FC, 42).

Thiago Leon
Thiago Leon


4) A participação na vida e na missão da Igreja.

Indica a projeção eclesial da vocação familiar. Pois "a família cristã é chamada a tomar parte viva e responsável na missão da Igreja, de modo próprio e original, colocando-se ao serviço da Igreja e da sociedade no seu ser e agir, enquanto comunidade íntima de vida e de amor" (FC, 50).

Escrito por
Cankin Ma 2020 (arquivo pessoal)
Cankin Ma Lam

Nascido no Equador, filho de pai chinês é apóstolo de plena disponibilidade no Sodalício de Vida Cristã. Atualmente faz caminho ao sacerdócio e estuda teologia na Universidade Católica de Petrópolis.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jovens de Maria, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.