Por Pe. Ivair Luiz da Silva, C.Ss.R. Em Espiritualidade

O sentido do sofrimento

A vida não nos poupa de momentos de sofrimento, insegurança e ansiedade. Tudo é conquista e, cada passo dado demanda esforço e exigente empenho. Também a doença que a todos atinge, mais cedo ou mais tarde, é momento de provação, por vezes dramático, uma dilaceração que tem como consequência o afastamento de nossas atividades, o distanciamento da comunidade e das pessoas.

sofrimento

Na doença o homem percebe em si a ruptura da unidade total de seu ser. Traz situação de mal-estar, de frustação. Sua autorrealização é ameaçada, sua vida familiar e social é rompida. Cada um reage de maneira diversa: mecanismo de defesa, aceitação, agressividade, revolta. Parece que palavras e gestos de alívio humano não significam quase nada perante a gravidade de determinadas tribulações físicas e sofrimentos espirituais, de modo particular, diante da iminência da morte.

Os que vivem uma doença grave fazem a experiência de impotência e de fragilidade, renunciam à sua autonomia. Vivem inativos. Não podem fazer projetos. Pensam quase só em seu estado de debilitação. O sofrimento humano suscita compaixão, inspira respeito e, a seu modo, intimida. É um enigma intocável, inevitável, logo, há um imperativo - aprender a lidar com ele.

O vocabulário do Antigo Testamento não possuía uma palavra específica para designar o sofrimento, este era denominado de "mal". Portanto, o sofrimento era como um castigo do pecado e não como provação . O sofrimento, nesta vida, não é maldição, pode ser um remédio amargo, até difícil de tomar, no entanto, é sempre remédio e oferecido por amor de Deus. Na perspectiva teológica, o sentido profundo do sofrimento descobre-se seguindo a Palavra de Deus revelada.

 

"O cristão encontra, na doença e no sofrimento, uma forma de se aproximar de Deus na medida em que, onde os outros encontram angústia e dor, o cristão dominando e assimilando o sofrimento, retira dele um sentido de vida. 

O cristão encontra, na doença e no sofrimento, uma forma de se aproximar de Deus na medida em que, onde os outros encontram angústia e dor, o cristão dominando e assimilando o sofrimento, retira dele um sentido de vida. O apóstolo Paulo busca conforto e segurança, um sentindo para o sofrimento ao escrever à comunidade dos Colossenses nestes termos: “Completo em minha carne o que faltou às tribulações de Cristo” (Cl1,24). Nesse sentido, é necessário interpretá-lo, fazer a sua leitura e conseguir tirar dele o melhor resultado no projeto da vida.

É importante compreender que o sofrimento é, tão somente, um limite. E quando experimentamos o limite de nossa vida, reconhecemos também a presença amorosa de Deus que nos ampara, que nos conforta: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e abatidos e eu vos aliviarei”. Jesus assumiu nossa vida humana para nos resgatar da dor e da morte. Nesse sentido o nosso sofrimento tem valor de redenção. É sobretudo nesses momentos que os cristãos devem se tornar mais solidários uns com os outros exprimindo com verdadeiros gestos de amor a misericórdia de Cristo e a sua proximidade ao doente. Cristo se aproxima dos enfermos através de nós, seus discípulos.

Dentro das Santas Missões Populares Redentoristas reservamos um momento especial para celebrar com eles o dom da vida. Não celebramos a doença, mas procuramos mostrar como eles são importantes para Deus e para a comunidade. A mensagem levada é de ânimo e de conforto. Pedimos que elas sejam pessoas confiantes, reconhecidas a Deus, com pensamentos positivos porque a vida é para ser distribuída na alegria. É preciso aceitar para redimir e associar-se ao sofrimento de Jesus. Jesus é a escola. Jesus nos ensina a viver e nos ensina a morrer. Jesus sempre falou: “Tua fé te curou”.

Enfim, a mensagem para toda comunidade-Igreja. É a Igreja que vai até eles através de nós, na comunidade e nos setores (grupos) missionários. É ser o bom samaritano que auxilia, ajuda a cruz ficar “mais leve”, que ampara e que conforta com uma palavra de esperança e nos outros cuidados necessários. 

Pe. Ivair Luiz da Silva, C.Ss.R.
Missionário Redentorista

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Ivair Luiz da Silva, C.Ss.R., em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.