Por João Antônio Johas Leão Em Espiritualidade Atualizada em 30 SET 2020 - 12H47

“Quero ser apenas um frade que reza” - Padre Pio

Shutterstock
Shutterstock

Padre Pio nasceu em Pietrelcina, na Itália, em 1887. Foi ordenado sacerdote em 1910 e morreu em San Giovanni Rotondo, em 1968.

É um santo muito venerado no mundo inteiro, por sua vida intensa de fé, de ajuda aos mais necessitados, de zelo pela celebração diária da Eucaristia e de disponibilidade para a confissão.

Ao morrer, já possuía grande fama de santidade, o que pode ser comprovado pela massiva presença de fiéis em seu funeral.

“Quero ser apenas um frade que reza”

Na vida deste grande santo, houve também muitas manifestações sobrenaturais, que em muitos casos lhe impuseram duras perseguições. Se mostrava humilde frente a elas, por exemplo quando repetia: “Quero ser apenas um frade que reza”.

Ele tinha uma grande sensibilidade espiritual, sabia ler os corações das pessoas, ainda que não falassem tudo o que tinham dentro. Conta-se que algumas almas do purgatório lhe apareceram para pedir uma missa, para poderem, assim, entrar no céu. Teve também duras disputas (muito físicas) com o demônio e, por fim, depois que morreu, seu corpo permaneceu em alto grau de incorrupção.

Shutterstock
Shutterstock

O que significa essa incorrupção do corpo?

Se olhamos para Jesus, que sabemos que se fez semelhante a nós em tudo, menos no pecado, entendemos pela fé, que não pode estar sujeito à corrupção, afinal ele é Deus. De fato, ressuscitou e está, com seu corpo glorioso, sentado à direita de Deus Pai.

Maria também experimentou algo parecido. Sabemos que ela é Imaculada, sem mancha de pecado. Sabemos que viveu toda sua vida em pura santidade. Também sabemos, pela fé, que foi assunta, em corpo e alma, aos céus. Também ela foi incorrupta.

Podemos pensar, à luz de Jesus e de Maria, que a santidade está em estreita relação com a incorrupção. De fato, estamos todos chamados a viver um dia no céu, depois da segunda vinda de Jesus, em corpo e alma, incorruptos, junto a Deus. É para isso que vivemos a nossa vida atual, peregrinando rumo à outra vida, eterna.

Sabemos também que existiram pessoas que se sobressaíram nessa peregrinação por sua pureza, por sua santidade. Esses são os santos e santas, que nos lembram do nosso próprio chamado a santidade. Padre Pio foi uma dessas pessoas que, de maneira especial, peregrinaram nessa terra.

Peçamos a esse grande santo que interceda por nós, para que possamos fazer da nossa vida uma vida um pouco mais santa, não para que obtenhamos também dons espirituais extraordinários, mas para que possamos dar glória a Deus com nossas vidas, sendo humildes discípulos do Senhor.

Talvez possamos parafrasear o santo, dizendo: “Queremos ser 'apenas santos' católicos”. Esse “apenas” pode parecer algo simples, mas para alcançar o “apenas santos”, é necessária toda uma vida de entrega amorosa ao Senhor.

Escrito por
João Antonio Johas Leão (Arquivo pessoal)
João Antônio Johas Leão

Licenciado em filosofia, mestre em direito e pedagogo em formação. Pós-graduado em antropologia cristã e entusiasta de pensar em que significa ser cristão hoje.

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.