Por Martín Ugarteche Fernández Em Espiritualidade Atualizada em 17 SET 2019 - 08H42

São Roberto Belarmino, doutor da Igreja

Reprodução
Reprodução


Nasceu em Montepulciano em 1542 e faleceu em 1621. M
enos de 10 anos depois da sua morte, foi beatificado, canonizado e declarado Doutor da Igreja. Ingressou à Companhia de Jesus e foi ordenado sacerdote no ano de 1570. Foi professor universitário em Louvain e depois diretor espiritual e superior dos jesuítas que estudavam no Colégio Romano, entre os quais se encontrava São Luiz Gonzaga. Na última década do século XVI, foi ordenado bispo e, posteriormente, tornado cardeal.

Foi também um autêntico pastor das almas a ele encomendadas, dedicando-se intensamente à pregação, o que deu como fruto centenas de sermões que até hoje são conservados. Recebeu diversos encargos na Cúria Romana e também serviu como embaixador da Santa Sé perante Veneza e Inglaterra.

Como tema principal da sua espiritualidade, encontramos a percepção viva da bondade de Deus, de sentir-se seu filho muito amado. A oração, como meio de comunicação com Deus era, para Belarmino, fonte de alegria e serenidade. Isto pode ver-se em sua obra “Itinerário da Mente a Deus”, inspirada na obra do mesmo nome, de São Boaventura. Como bom jesuíta, e após muitos anos de ter realizado os exercícios espirituais, ele nos aconselha também a lembrar sempre o nosso fim, aquilo para o que fomos criados, que é a glória de Deus.

Todas as demais coisas podem ser relativizadas em nossa vida: o sucesso, o fracasso nos negócios humanos, se somos ou não reconhecidos, se atingimos os objetivos que nós vamos traçando. Tudo isso carece de importância se for comparado com a nossa orientação ao nosso fim principal, que é servir, glorificar e reverenciar a Deus, o nosso Criador. É necessário que constantemente lembremos desse nosso fim e verifiquemos se os passos que vamos dando contribuem ou atrapalham para que o alcancemos, de forma a retificar-nos quando for necessário.

Os anos mais intensos do apostolado de Belarmino se desenvolveram nas últimas décadas do século XVI e nas primeiras do século XVII. O contexto desses anos era, então, o da chamada Reforma, pela qual nações inteiras se afastaram da Igreja. Os ensinamentos de Belarmino como professor universitário, e depois como formador e superior jesuíta, foram orientados a compreender a realidade da Igreja, tanto no que ela tem de visível e institucional, como no que tem de invisível e espiritual.

Em sua obra principal, as 'Controvérsias', que recolhem seu magistério, o enfoque é prevalentemente histórico, evitando um tom de conflito e confrontação com as ideias da Reforma. Uma das ideias mais importantes de Belarmino é que não pode haver uma reforma da Igreja, se antes não há uma reforma do coração, algo que se aplica não só ao tempo de Belarmino, como também ao nosso.

Veja abaixo outros santos doutores da Igreja

.:: São João Maria Vianey 
.:: Santo Irineu de Lyon 
.:: Santa Teresa D'Ávila

Escrito por
martín ugarteche (Arquivo Pessoal)
Martín Ugarteche Fernández

Nasceu em Lima, Peru, no ano de 1978. É membro do Sodalício de Vida Cristã desde 1996. Desde 2001 mora em Petrópolis, na Comunidade Sodálite "Mãe da Reconciliação", onde desenvolve diversos projetos de formação e evangelização da cultura. É professor de filosofia na Universidade Católica de Petrópolis, onde leciona Ética, Lógica e Filosofia da Natureza.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.