Igreja

A figura do “goel” na modernidade

Fr. Rafael Peres Nunes de Lima C.Ss.R. (Arquivo Pessoal)

Escrito por Fr. Rafael Peres Nunes de Lima, C.Ss.R.

21 OUT 2021 - 09H38 (Atualizada em 21 OUT 2021 - 09H58)

Thiago Leon 2º dia da Novena de Nossa Senhora Aparecida - 2021 (Thiago Leon)

O “goel” na sociedade hebraica/judaica seria a imagem do resgatador, ou seja, aquele toma por responsabilidade assumir à culpa ou pagar e resgatar uma mulher de seu parente próximo.

Logo, a figura do “goel” no Novo Testamento é associada a Jesus Cristo, que dá a própria a vida pelos pecados da humanidade e, por isso, resgata a humanidade, trazendo-a novamente para junto de Deus.

Leia MaisPensar a realidade: Um desafio filosófico na modernidade O que vemos na modernidade são vários “goel” que surgem na sociedade, resgatando a humanidade perdida de homens e mulheres que estão às margens.

A Novena da Padroeira deste ano (2021) nos trouxe algumas destas figuras, como por exemplo:

- Dom Paulo Evaristo Arns, que lutou pela dignidade e pela liberdade dos perseguidos na ditadura militar;

- Padre Júlio Lancellotti, que luta pela dignidade dos moradores de rua da cidade de São Paulo;

- Santa Dulce dos Pobres e Santa Teresa de Calcutá, as figuras icônicas do século XX e XXI que marcaram a sociedade como resgatadoras da dignidade humana.

Todos eles foram verdadeiros “goel“.

Thiago Leon
Thiago Leon


Na modernidade, percebemos que o esfacelamento das bases sociais provoca uma cascata de acontecimentos em que a presença do “goel” torna-se necessária, pois a sociedade acaba por esquecer-se daquilo que a une como tal, que é o respeito, a compaixão e, principalmente, os direitos de todos aqueles que formam a sociedade. A presença do “goel” hoje na sociedade moderna é tanto uma figura de consolo, como também uma figura moral e ética, que traz para o centro da sociedade aqueles que estão às margens.

Portanto, ao olharmos a sociedade no século XXI, vemos uma sociedade 'complexificada', ou seja, a própria sociedade criou mecanismos e instrumentos que a deixaram 'líquida' (cf. BAUMAN, Z.), perdendo, assim, suas bases.

E nisso, ricos ficaram mais ricos, pobres mais pobres... A sociedade esqueceu-se dos direitos e deveres de todos, para olhar apenas a alguns e novamente, hoje, a figura do “goel” torna-se necessária para resgatar aqueles e aquelas que sofrem, que são oprimidos e que, muitas vezes, precisam ser resgatados e trazidos de volta para o centro.

Escrito por
Fr. Rafael Peres Nunes de Lima C.Ss.R. (Arquivo Pessoal)
Fr. Rafael Peres Nunes de Lima, C.Ss.R.

Missionário Redentorista, Bacharel em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e estudante de Teologia no Instituto São Paulo de Estudos Superiores – ITESP.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.