Por Eduardo Gois Em Igreja Atualizada em 17 JUL 2019 - 09H09

Bento XVI: O Papa teólogo

O Arcebispo Emérito de Aparecida, o Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, compartilha com o A12 um pouco de suas impressões sobre a trajetória do Papa Bento XVI.

Conhecidos de longa data, Bento XVI e Dom Raymundo estiveram juntos inúmeras vezes ao longo dos últimos 55 anos e, por isso, de modo generoso, Dom Raymundo partilha com todos nós algumas virtudes do Papa Emérito e características observadas de um tempo quando ele ainda era conhecido como Joseph Ratzinger, professor de Teologia, assessor de cardeais, Cardeal, Prefeito para Congregação da Doutrina da Fé, até se tornar Papa.

L'osservatore Romano
L'osservatore Romano


De acordo com Dom Damasceno, o Papa Bento XVI é um intelectual e a contribuição que ele vai deixar para a Igreja pode ser distinguida em dois momentos diferentes: num primeiro momento, como o teólogo Ratzinger e, em outro, como o Papa Bento XVI.

Joseph Ratzinger foi um grande professor de Teologia em várias universidades da Alemanha e, nesse período, deixou muitas e importantes obras escritas. Mais adiante, sua contribuição foi como Prefeito para Congregação da Doutrina da Fé, onde atuou brilhantemente e também deixou uma grande quantidade de obras.



Neste mesmo período em que esteve na “Doutrina da Fé”, foi um assessor muito especial para o Papa João Paulo II. “Poderíamos dizer que ele foi o braço direito de João Paulo II. Várias vezes ele quis renunciar de sua função de prefeito, mas o Papa João Paulo II nunca o permitiu, de modo que ele teve de ficar praticamente até o fim do pontificado de seu antecessor ocupando este cargo e, logo em seguida, se tornou Papa.

Dom Damasceno destaca suas principais contribuições como Papa:

Homilias;

Sabias catequeses nas audiências gerais;

Encíclicas.

Na avaliação de Dom Damasceno, é preciso tornar conhecida esta obra e divulgá-la. Para tal finalidade, aqui no Brasil foi criada a Sociedade Ratzinger Brasil, com o intuito de promover o conhecimento da obra teológica, tanto dele enquanto cardeal, quanto como Papa.

Ele explica que o trabalho é imenso e há muito o que fazer ainda. “Primeiro é preciso traduzir toda a obra, que é imensa, com cerca de 25 volumes. A sociedade começou os trabalhos primeiro pela parte de liturgia. O Papa Emérito tem uma obra imensa; o legado que ele vai deixar para a Igreja é maravilhoso, é riquíssimo. Certamente, será objeto de muitas pesquisas, muitas teses de doutorado, de mestrado e estudos nas universidades. Poucos papas vão deixar, se é que deixarão, uma obra tão vasta em termos de uma literatura teológica”, afirma.

55 anos de protagonismo



Dom Raymundo Damasceno também explica que Bento XVI começou a ter fama como um bom teólogo ainda muito jovem, na época do Concílio Vaticano II, em que Joseph Ratzinger era assessor de um cardeal e Dom Damasceno um estudante. Inclusive, foi nesta época em que eles se conheceram.

:: Acesse aqui 10 frases de Bento XVI para inspirar e apaixonar as pessoas

Veja abaixo a íntegra da entrevista com Dom Damasceno: 


2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Eduardo Gois, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.