Por Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R Em Igreja

Nós mentimos bem

 

Foto de: divulgação

golpe_duplo

No meio de tantas notícias ruins da política e da economia nacional, peço licença para comentar um filme. Está nos cinemas um muito inteligente, chamado Focus, que no Brasil é chamado de “Golpe Duplo”, com Will Smith, Margot Robbie e o brasileiro Rodrigo Santoro. Ao assistir a este filme, pensei sobre duas coisas graves de nossa sociedade contemporânea: o glamour da criminalidade e a capacidade do ser humano de mentir.

Há muito tempo o cinema tem mostrado o lado “glamoroso” do mundo do crime. Poderia listar vários filmes com este tipo de enredo, que vão encantando as mentes das pessoas. Falando de forma bem mais simples, criam uma acomodação com a criminalidade e com o desejo de tirar vantagem das outras pessoas.

Aí, alguém diz: “Calma irmão, é só um filme!”. Só um filme? Os programas policiais de TV pelo Brasil constantemente mostram histórias de jovens que se tornam bandidos, neste espírito competitivo de passar as pessoas para trás, enganar a polícia, enfim, a sociedade em geral.

E isso tudo está ligado a esta fantástica capacidade que temos de mentir. É pecado, nós todos sabemos. Agora, é impressionante como no filme “Golpe duplo”, a mentira é apresentada como uma arma eficaz, usada para a sobrevivência, e ao mesmo tempo indispensável para a vida em sociedade. Será que somos assim?

É, somos assim, infelizmente. Mentimos muito bem. Não todos, graças a Deus, mas uma boa parte da sociedade, que não é na verdade “boa”. O oitavo mandamento nos diz para não mentir. O Catecismo classifica a mentira como uma forma de violência, e ensina que qualquer falta contra a verdade e a justiça exige uma reparação, mesmo que tenha sido perdoada.

Nesta Semana Santa, concluo esta reflexão recordando um conselho que está na carta aos Efésios (cf. 4,20-31). “Deixar o homem velho, corrompido pelos desejos enganadores... deixar a mentira e abraçar a verdade”. Conselho indispensável para o choque de ética que nosso país tanto precisa.

Assinatura Ir. Diego Joaquim

Escrito por
Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R.
Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R

Missionário Redentorista da Província de Goiás

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.