Por Pe. Leo Pessini Em Igreja

Um rápido diagnostico para conhecer os jovens millenials! (II)

São muitas as características que definem a geração do milênio, porém uma característica fundamental é que se trata da geração que cresceu o contexto da “globalização. A globalização experimenta o mundo como uma aldeia global, consequência das mudanças espocais que aconteceram com a tecnologia da informação, da comunicação e do transporte. Todos percebemos que ocorreu um drástico corte das distancias. Agora os povos e lugares estão conectados e 'online' muito mais facilmente e agora, viver no mundo se parece a viver numa aldeia. Poderíamos definir a globalização como a contração de tempo e espaço, que resulta na crescente interdependência dos povos de diversas nações e culturas.

Celular (Foto:Shutterstock)
Foto: shutterstock

:: Um rápido diagnóstico para conhecer os jovens millenials! (I)

+ de Pe. Léo Pessini

Esta geração é a que cresceu com a internet, com os smartfones, com as redes sociais, com a realidade virtual. Este é o mundo que eles habitam e que molda sua consciência, valores e atitudes. Assim poderíamos parafrasear a frase de descartes 'Penso logo existo' ('Cogito, ergo sum') em 'Estou conectado, logo existo'. Os que pertencem a esta geração, estão permanentemente conectados à Internet, com o mundo virtual, e nas redes sociais. Se não estão, não existem. Existem somente se estiveram conectados. 'Colligo, ergo sum'.

A geração dos millenials, também muitos a denominam como a 'geração pós-moderna'. O pós-modernismo é um movimento do final do século XX que se manifestou no âmbito das artes e da arquitetura, da literatura, da música e da filosofia, como reação ao 'modernismo' e distanciamento de si mesmo.

Vejamos rapidamente o que foi o modernismo, movimento filosófico que nasceu do fenômeno do iluminismo do século XVIII na Europa. A razão devia emancipar-se para buscar a verdade. O modernismo foi impulsionado pela revolução industrial que trouxe profundas transformações na sociedade ocidental no final do século XIX e início do século XX. Temos neste contexto modernista o desenvolvimento das sociedades industriais e o crescimento das cidades.

O modernismo supõe confiança na razão e na racionalidade, afirmação do poder dos seres humanos para criar, melhorar e remodelar o médio-ambiente com a ajuda da experimentação, do conhecimento científico e da tecnologia. Porém esta confiança na razão e no poder do ser humano de alcançar o progresso, caiu por terra com os dois conflitos ou guerras mundiais. Esta experiência horrível de milhões de mortos, levou ao surgimento do pós-modernismo na segunda metade do século XX.

O pós-modernismo como reação ao modernismo rechaça os seguintes aspectos da vida humana:

a) Confiança excessiva no poder da razão. Esta pode ser objeto de contaminação e de exploração, e tem significados muito diferentes nas diversas culturas.

b) O primado e a fiabilidade dos dados empíricos. O modernismo apostava no “nada mais que os fatos, a razão analisa e esclarece e todos podem ver e entender. Os pós modernistas contra argumentam de que não existe tal coisa como “nada mais que os fatos”. Os fatos nos chegam sempre de formas culturais muito diferentes.

c) A exclusão das visões mítico-místicas do mundo. A ciência, com seu método empírico é o arbitro final a respeito das coisas. Os pós - modernistas questionam esta autoridade normativa da ciência e afirmam que existem outros caminhos par conhecer o mundo que não podem ser reduzidos a formulas, como os mitos e a experiência mística.

d) A busca das verdades universais. Não é somente impossível, mas é visto como algo muito perigoso. Os povos, e culturas, são mais diferentes do que parecem. Este é um dos pilares do Pós-modernismo, isto é que as verdades universais são perigosas e as diferenças são portadores de vida. O pós-modernismo se caracteriza pelo domínio da diversidade. As coisas diferentes podem estar inter-relacionadas, conectadas, integradas, porem nunca ao ponto de perder a diversidade. A diversidade domina a unidade, e isto deveria alegrar-nos, porque do contrário a vida e sua evolução se tornariam aborrecidas. Se eliminarmos a diversidade da vida, estamos eliminando sua vitalidade.

O pós-modernismo vê o mundo como algo permanentemente inacabado e inconcluso, promove a noção do pluralismo, isto é muitas formas de conhecimento e que um fato pode ter muitas verdades. O conhecimento é relacional e todas as realidades estão inter-relacionadas (continua).

assinatura padre leo pessini

Escrito por
Pe. Léo Pessini Currículo - Aquivo Pessoal
Pe. Leo Pessini

Professor, Pós doutorado em Bioética no Instituto de Bioética James Drane, da Universidade de Edinboro, Pensilvânia, USA, 2013-2014. Conferencista internacional com inúmeras obras publicadas no Brasil e no exterior. É religioso camiliano e atual Superior Geral dos Camilianos.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.