Por Redação A12 Em Música

Série: Cuidando do som da igreja - A mesa de som

A mesa de som

mesadesom.pngFazendo uma analogia ao corpo humano, o amplificador é o coração do som, e a mesa de som é o sistema nervoso. Nela serão conectados todos os instrumentos e também serão processadas as informações correspondentes a volume, equalização, efeitos e endereçamento de sinal aos canais do amplificador, que por sua vez enviará as caixas de som.

Também é na mesa de som onde irão se conectar outros equipamentos adicionais como, rack de efeitos e caixas de retorno por exemplo. São exatamente esses recursos que diferenciam uma mesa de som de outra, uma vez que seus princípios de funcionamento são básicos. Quando falamos em mesa de som, a primeira coisa que nos vem à cabeça é a quantidade de canais, que nada mais é senão a quantidade de entradas onde serão conectados seus instrumentos musicais, microfones e outros aparelhos. Há uma infinidade de modelos que variam entre 4 a 72 canais! Para nossa realidade nas igrejas, as mesas que possuem entre 12 a 16 canais (de acordo com cada necessidade), dão conta do recado sem preocupações. Supondo a seguinte configuração: 1 microfone para o celebrante, 1 para os leitores/comentarista, 3 para cantores, 1 entrada para violão, 1 para guitarra, 1 para contrabaixo e 1 para teclado. Já somam 9 canais a serem utilizados. O ideal é que você trabalhe com 2 ou 3 canais de sobra, vai que seja necessário conectar um player de mp3 ou mais microfones, ou ainda seu ministério cresça, enfim, tudo é possível. Ainda quanto aos canais, eles se dividem em mono e stereo. Exemplo: uma mesa de 16 canais irá apresentar normalmente a identificação de cada canal próximo a sua respectiva entrada. Os canais mono são individuais, já os stereos são compartilhados que servem entre outras funções para ligar, por exemplo, dois violões e endereçá-los um para a caixa da esquerda e outro para a direita. Outro fator de peso numa mesa de som são os tipos das conexões disponíveis: XLR, P10, RCA..., mas é ideal que a mesa possua conexões P10 (as tradicionais) e XLR (balanceadas - possuem 3 furos). Nas conexões XLR devem ser ligados os microfones e alguns instrumentos que compartilhem da mesma conexão, e os demais instrumentos SEMPRE devem ser ligados nas conexões padrão, a P10. Os controles da mesa também sofrem bastante variação de acordo com o modelo e o fabricante, mas, é quase unânime que apresentem controles de volume, graves (low), médios (middle), agudos (trebble) e ganho (gain). O diferencial está na operação desses controles de acordo com a necessidade. Lembram que o amplificador já opera em sua potência máxima? Pois é, nesse caso deve-se ajustar o volume geral da mesa e claro, o volume de cada canal. 

A má operação da mesa de som é a maior causa de má qualidade sonora do ambiente e de efeitos mais que indesejáveis como a microfonia. Para evitá-los deixo as seguintes dicas:

1) Zere o volume do canal antes de conectar ou desconectar qualquer equipamento;

2) Como o amplificador opera em volume máximo, o volume geral da mesa raramente ultrapassa os 50%;

3) Se for necessário aumentar o volume dos equipamentos já conectados, faça-o de maneira gradual, nunca suba o controle de uma vez;

4) Procure ensaiar com as portas e janelas abertas para uma maior fluidez sonora. Normalmente ao ensaiar em ambiente fechado a tendência é utilizar pouco volume, volume esse que não será suficiente quando o ambiente estiver repleto de pessoas;

5) Ao conectar qualquer equipamento deixe os controles do canal FLAT, isso quer dizer que os controles de graves, médios, agudos e ganho(quando houver) devem ficar na posição CENTRAL, pois cada equipamento possui suas características timbrais. Desse modo, nenhuma frequência será enfatizada;

6) Se após seguir os passos o som do equipamento estiver desequilibrado, ajuste a frequência em questão, diminuindo sua intensidade. Exemplo: Você conectou o microfone e a voz saiu muito "abafada" como se estivesse em um local fechado, certamente há um excesso de graves, característica do equipamento, que nesse caso deve ser atenuado um pouco. É um erro muito comum, ao encontramos situações assim tentar corrigir elevando também o nível de agudos, se os graves já estão sobrando, se você tentar compensar acrescentando mais agudos, você terá duas frequências em desequilíbrio e logo mais terá uma grande microfonia, além de deixar o som com uma péssima qualidade;

7) O controle de ganho aumenta significativamente a presença e por consequência o volume do equipamento que estiver conectado ao canal. Por isso, é importante confiar a operação da mesa de som a uma pessoa só, que possua bom senso (uma vez que o sistema de som esta para servir a todos) e audição apurada para identificar possíveis excessos.

O ideal é ler bastante os manuais de operação dos aparelhos e buscar informações em todas as fontes disponíveis, como na internet. A tecnologia de áudio evoluiu muito rápido, por isso, cada vez mais recursos são acrescentados nos aparelhos para se tornarem mais funcionais. Hoje, já podemos ver mesas de som digitais com efeitos profissionais embutidos e mesas já amplificadas, eliminando a necessidade de um amplificador externo.

Veja Também: Série: Cuidando do Som da Igreja - Conhecendo mais sobre seu trabalho
                          Série: Cuidando do som da igreja - Amplificador

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Música

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.