Por Padre Pedro Cunha Em Opinião Atualizada em 15 MAI 2020 - 13H33

A família e o coronavírus


shutterstock
shutterstock


A pós-modernidade nos colocou em um
turbilhão de atividades e o tempo tornou-se escasso para todos. Com a chegada do Covid-19, fomos convidados, inicialmente, e depois certamente forçados a ficarmos em casa. O tempo nos será devolvido, teremos todo o tempo que precisarmos para ficar em casa, com a família.

Isso parece apavorar muitas pessoas. Isso deveria causar outra sensação: ficar perto, ficar junto. Muitos reagem a necessidade de não cumprimentar na rua, não abraçar, não beijar, não dar um aperto de mão, acham isso uma coisa horrível, mas não parecem gostar também da ideia de ficar em casa, abraçar quem quase nunca tem tempo de abraçar, conversar, brincar, fazer comida juntos. O que acontece com o ser humano?

Leia MaisPapa: "Deus ajude as famílias"Em tempos de Coronavírus, VAMOS FICAR EM CASA. É a única forma segura de não sermos agentes propagadores desse vírus. Aqui no Brasil estamos, inicialmente, sendo convidados a ficar em casa. Na Itália e na França, todos são OBRIGADOS a permanecer em casa. No Brasil, certamente o mesmo acontecerá: seremos obrigados a permanecer no nosso sacrossanto recinto familiar.

Antes de ser uma coisa horrível ficar em casa, vamos pensar na oportunidade que temos de recolocar a nossa vida familiar nos eixos. Vamos ser família, vamos voltar a aprender a viver com tempo uns com os outros. Acabou a correria, a família agora tornou-se nosso único lugar para ESTAR, ficar, viver e conviver. Para muitos, isso terá que ser aprendido, pois já há muito tempo nos esquecemos de como é viver em família; agora teremos de aprender outra vez.

Tempos difíceis sempre geram oportunidades de crescimento e fortalecimento do que é essencial. Estamos vivendo esses tempos difíceis e, então, é hora de crescermos e nos fortalecermos naquilo que é essencial: a família.

Escrito por
padre pedro cunha (Gustavo Cabral/A12)
Padre Pedro Cunha

Padre Pedro Cunha é sacerdote da diocese de Lorena (SP), fundador das Aldeias de Vida, professor universitário e reitor do Santuário Diocesano de Nossa Senhora da Santa Cabeça

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Opinião

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.