Por Elisangela Cavalheiro Em Notícias Atualizada em 07 JUL 2020 - 15H54

3 fatos da vida do Padre Vítor Coelho de Almeida

Padre Vítor Coelho de Almeida é uma viva memória na história da Rádio Aparecida, Clube dos Sócios e do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida. 

Ele viveu 87 anos e destes, 76 foram dedicados à Congregação do Santíssimo Redentor. Quando ele entrou no seminário, em 1911, não tinha tanta certeza de sua vocação, mas depois descobriu a beleza de ser uma oferta para Deus e para a Igreja. 

De sua longa trajetória de vida separamos três fatos que nos ajudam a compreender como Deus foi misericordioso com Padre Vítor e como Ele moldou a vida dele para transmitir a sua mensagem. Ele mesmo reconheceu isso já quando era padre: "Eu sou filho da misericórdia de Deus e por isso aprendia a ser misericordioso”. 

Confira abaixo essas três histórias da vida do Padre Vítor Coelho: 

Comissão do Patrimônio Histórico Provincial.
Comissão do Patrimônio Histórico Provincial.
Padre Vítor Coelho é um missionário que pode se tornar santo


Entrou no seminário contra sua vontade

Padre Vítor sempre lutou contra seu gênio. Ele mesmo disse sobre o sentimento que tinha quando Deus o chamou mesmo sendo uma criança muito desobediente. "Ele me tirou do lodo, de lá de baixo, para me colocar em alto na vocação sacerdotal”. 

A indisciplina do pequeno Vítor teve início após a morte de sua mãe, quando ele tinha apenas sete anos. Sem a presença da mãe, o pai não conseguia controlar a rebeldia. Como era muito extrovertido, não queria ficar em casa, nem ir para a escola, só queria saber de ficar na rua.

O cônego Vitor Coelho de Almeida, primo do padre Vítor, o levou para morar com ele, mas também não conseguiu educar o menino. Então resolveu enviá-lo para o seminário, e lá foi Vítor para o Colégio de Santo Afonso, em Aparecida, contra sua vontade. No seminário, teve outro enfrentamento. O padre João Batista Kiermeier não acreditou na vocação do menino e quis mandá-lo embora. Mas algo mudou!

Quando Vítor foi arrumar suas malas para voltar para sua  casa, ele foi tomado da graça de Deus e sentiu que deveria ser um missionário de Nossa Senhora Aparecida. A partir daí nunca mais deixou a vocação. Ele atribuiu a Nossa Senhora Aparecida sua conversão e vocação naquele momento decisivo.

:: Padre Vítor Coelho: Animador das vocações

Teve que interromper sua missão e retirou um pulmão 

Quando ainda era criança, por volta dos 7 anos, Vítor quase morreu. Durante três dias teve uma forte febre que comprometeu os seus pulmões. Outras duas vezes sofreu por causa dessa fragilidade. Em 1921, quando morava na Alemanha, e depois em 1940, durante as Santas Missões em Ribeirão Preto (SP), a tuberculose maltratou padre Vítor.

Ele então interrompeu o seu trabalho evangelizador para morar em Campos do Jordão onde iria tratar a doença. Viveu no Sanatório Divina Providência por oito anos, e durante este tratamento precisou retirar um dos pulmões para combater a doença. Numa época em que não existia muitos remédios, a doença poderia ter sido fatal. 

Foi no sanatório que o padre Vítor conheceu o padre Eustáquio que rezou sobre seu peito no lugar de um ferimento que ele tinha. Ele ficou curado, e tempos depois, atribuiu a sua cura a esse padre. Hoje o padre é conhecido como o beato Eustáquio.

Mesmo durante o tratamento padre Vítor não ficou parado. Quando podia reunia os enfermos para momentos de oração, novenas, sempre acompanhado da imagem de Nossa Senhora Aparecida e São Geraldo. Muitos atribuem curas dos enfermos que moravam no sanatório, pelo ânimo e orações do Padre Vítor.

:: O encontro milagroso entre Padre Vítor e um santo beato

Tornou famosa a Consagração de Aparecida e fez crescer a consciência do devoto

Foi com a voz do padre Vítor Coelho que a Consagração a Nossa Senhora Aparecida ficou conhecida no Brasil. O programa da Consagração se tornou o mais famoso e o mais querido dos devotos. Tanto é verdade que a oração se tornou uma das mais famosas da rádio brasileira.

O seu jeito de falar de Nossa Senhora, que era simples, poético e amoroso conquistava o coração das pessoas.

A Consagração a Nossa Senhora Aparecida completa 65 anos em 2020. Ela foi rezada pela primeira vez em 30 de maio de 1955, na voz do padre Laurindo Rauber, e depois, a partir de 1956, passou a ser rezada pelo padre Vítor; que também é o autor da oração. 

Com os programas na rádio, com a criação do Clube dos Sócios e com as inúmeras ações que o padre Vítor empreendeu durante os 37 anos que segurou o microfone em Aparecida, padre Vítor fez surgir um devoto consciente de sua fé e sua contribuição para as obras da Casa da Mãe Aparecida em vista da evangelização. 

:: Padre Vítor criou Clube dos Sócios para leigo ser protagonista de sua missão


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.