Por Elisangela Cavalheiro Em Redentoristas Atualizada em 07 FEV 2018 - 14H08

Religiosos celebram festa do redentorista São Geraldo Majella, em Aparecida (SP)

O Santuário Nacional celebrou nesta quarta-feira (16) a memória do Irmão leigo redentorista São Geraldo Majella na Celebração Eucarística das 9h. A devoção ao padroeiro das gestantes, das mães e das crianças é cultivada no Santuário Nacional desde a vinda dos padres redentoristas para o Estado de São Paulo no século XVIII. O Tríduo que acontece desde o último domingo (13) encerrou hoje com a comemoração da festa litúrgica do Santo Redentorista.

Presidiu a celebração o Cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, e concelebraram o Superior Geral da Província Redentorista de São Paulo, padre Luis Rodrigues Batista, e o reitor do Santuário Nacional, padre Domingos Sávio da Silva, o bispo emérito de Barretos (SP), dom Pedro Fré, Missionários e Irmãos Redentoristas, e outros padres.

Na homilia, padre Luis Rodrigues destacou que a vida de São Geraldo foi marcada pelo desejo incansável de seguir a vontade de Deus.

“São Geraldo deixou-se modelar por Deus. Ele buscava ser a imagem do Cristo Crucificado. Buscou viver em conformidade com o próprio Cristo e colocar-se sempre a serviço dos mais pobres. São Geraldo despojou-se de si mesmo, como diz a passagem bíblica, caindo como um grão de trigo na terra e fazendo-se como semente a ponto de dar frutos”.

Essa entrega incondicional à vontade de Deus e ao serviço dos mais pobres e marginalizados resume o itinerário de vida de São Geraldo. “São Geraldo nunca perdeu de vista a referência de Jesus em sua vida e o desejo de estar a serviço do Pai. Na porta de seu quarto havia a inscrição: ‘Aqui se faz a vontade de Deus’”, destacou padre Luis. 

Para a Congregação do Santíssimo Redentor, a herança deixada pelo santo reforça a missão de cada Missionário Redentorista, de cada religioso ou religiosa que vive o carisma redentorista. “Vivendo o carisma redentorista, São Geraldo ensina para todos nós o caminho para viver o carisma da nossa congregação, da nossa família religiosa. Pelo seu itinerário, podemos perceber que o destinatário dessa missão são os pobres, os marginalizados, os mais simples”.

O Missionário Redentorista, padre Antônio Clayton Sant´Anna, que comemora nesta data o seu aniversário natalício, rezou no final da celebração a ladainha de São Geraldo Majella. Ao final, foi entronizada a imagem da Padroeira do Brasil para a consagração, trazida na presença das Filhas de São Camilo que neste dia celebram os 19 anos de beatificação de sua fundadora, Madre Josefina Vannini. 

A vida do Santo Redentorista

O humilde irmão redentorista Geraldo Majella, que a Igreja recorda neste dia 16 de outubro, viveu pouco mais de 29 anos, nasceu em uma família pobre na Itália e foi alfaiate. Ele é considerado um exemplo de caridade, devoção e perseverança. Conforme o testemunho de suas próprias irmãs, ele era muito dedicado às devoções, se confessava todos os dias e se disciplinava diariamente.

O fundador da Congregação do Santíssimo Redentor (Missionários Redentoristas), Santo Afonso, viveu na mesma época que São Geraldo e ele também foi devoto do piedoso Geraldo. O ‘Cadernos Redentoristas n. 19’, cita essa devoção:

“Mesmo em seu leito de morte Santo Afonso testemunhou veneração ao servo de Deus; quando lhe apresentavam a sua efígie, pegou-a com a expressão de profunda confiança, apertou-a contra o peito e recomendou-se à intercessão do santo”.

Para padre Clayton, São Geraldo foi determinado a viver sua entrega total ao Senhor, vencendo vários obstáculos para conseguir se tornar um religioso.

“A vida dele foi um desafio do começo ao fim. Naquela situação de pobreza em que ele vivia, em Muro, o perseguia como desafio maior p desejo de entrega e consagração a Deus, de seguir uma vocação religiosa, porém, sendo ele um filho único, arrimo de família e de saúde frágil, ele era descartado por todas as pessoas e pelas congregações religiosas”.

Padre Clayton lembrou também que São Geraldo é uma fonte de inspiração para a vocação religiosa, especialmente para os jovens e para aqueles que querem desempenhar e entregar sua vida em uma família religiosa.

Um fato interessante na vida de São Geraldo é que o seu nome não consta no calendário litúrgico da Igreja. Padre Clayton esclareceu que anos atrás o Superior Geral da Congregação da época, padre Joseph William Tobin, enviou um pedido à Santa Sé para que o religioso fosse incluído neste calendário. “Mas até hoje, São Geraldo não foi admitido no calendário oficial para ser invocado pelo mundo afora”. Mesmo assim, padre Clayton acredita que esta ausência não foi motivo para que São Geraldo não ganhasse o carinho e a devoção dos cristãos: "São Geraldo não é um santo desconhecido, podemos ver no Brasil e, mesmo na Itália, como é querido esse santo”, finalizou. 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Redentoristas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.