Por Pe. José de Lima Torres, C.Ss.R. Em Notícias Atualizada em 26 MAR 2019 - 14H32

Meu filho é apenas uma criança e diz que quer ser padre. O que fazer?

Muitas famílias se preocupam em ajudar seus filhos a compreender sua vocação. E isso é muito importante para um discernimento consistente e maduro. Deus chama e este convite não tem data nem hora marcada. Geralmente, é na juventude que muitos homens e mulheres se sentem tocados a dar uma resposta mais concreta ao chamado de Deus. Mas nem sempre é assim...

Recebemos o email de uma mãe que diz: “Meu filho é ainda bem pequeno, apenas uma criança, mas diz que quer ser padre. O que fazer?”

Vocação - Basílica São Geraldo - Curvelo MG

Primeiramente, precisamos dizer que não é possível saber se o que a criança sente é realmente um chamado de Deus ou uma fantasia. Na infância, tudo é fantasia. Mas vocação também pode começar assim, pode iniciar nesse mundo "fantástico". Afinal, a religião transcende as coisas concretas.

Além disso, o próprio Jesus disse que é preciso tornar-nos como as crianças para sermos dignos do Reino do Céu. É importante, portanto, ver se as crianças estão abertas às novidades e se estão prontas para aderir aquilo que não conhecem profundamente, mas que demonstram o desejo de seguir, pois sentem que este pode ser o rumo certo de suas vidas.

:: Conheça a turma dos Devotos Mirins

Nesse momento é fundamental que os pais estejam ao lado do seu filho naquilo que for a escolha dele. É essencial também que o ajudem a esclarecer que na vida há muitas outras opções e cada uma delas exigirá renúncias, mesmo que a criança ainda não consiga compreender o que isto significa.

Outra dica é levar o menino para conversar com um padre, de preferência de sua comunidade. Vocação a gente só descobre depois que faz um tempo de discernimento, de conhecimento das outras opções para saber se realmente é isso que vai fazê-lo feliz.

:: Como desenvolver a espiritualidade em crianças?

Quando puder, ajude o seu filho a conhecer algumas histórias de padres e missionários, pessoas como o Papa Francisco, que inspiram a vida da Igreja. Sobretudo, deixe-o entender que vocês serão suporte para a decisão que ele tomar. Só assim ele vai confiar em vocês e poderá partilhar a vida nos momentos de crise vocacional quando chegar à adolescência.

Esta criança está desejando um caminho muito bonito e árduo, mas que poderá leva-lo a fazer uma história grandiosa.

Não deixe de rezar pelas vocações!

8 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. José de Lima Torres, C.Ss.R., em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.