Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R Em Notícias

Homilia do 8º domingo Comum

Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R

 

 

Aprendendo com dos pássaros e das flores”

 

 

Um Deus que é Mãe

 

 

Jesus, ao dar início a sua missão, ensina o caminho da vida para seus discípulos. Por em prática suas palavras é construir a casa sobre a rocha. Nada a destruirá. A rocha é Deus que é o fundamento e a segurança de todas as coisas, “pois Ele é meu rochedo, salvação e a fortaleza onde encontro segurança. Só em Deus minha alma tem repouso” (Sl 61.3).

 

 

Quando o Papa João Paulo I falou que Deus era também Mãe, houve um susto. Como pode Deus ser Pai e Mãe? O Papa Sorriso queria dizer que o Pai tem também sentimentos como de uma mãe em sua preocupação para conosco. É bom ser amado e colocado ao colo para a proteção e o carinho. Isaias já nos falava nestes termos para que ninguém se sentisse abandonado. Até diz que uma mãe pode se esquecer do filhinho, o que é quase impossível de acontecer. Mesmo que acontecesse, Deus diz: “Eu não me esquecerei de ti”(Is 4915).

 

 

Uma mãe não esquece o filho porque é como uma parte de seu corpo com o qual tem permanente ligação. Assim é o relacionamento de Deus conosco. Estamos ligados a suas entranhas Divinas. Seu amor é total por cada um, não se divide por amar todos. Ele nos conhece pelo nome; “Chamei-te pelo nome. Tu és meu” (Is 43,1). Este Pai tem um amor ciumento e não divide essa predileção, por isso Jesus diz: “Ninguém pode servir a dois senhores” (Mt 6,24). Como Deus é sempre fiel em Seu amor, a nós cabe total fidelidade. Se cobrarmos a presença deste Pai, Sua proteção e cuidado, devemos também ter o mesmo cuidado de presença e atenção para com Ele. Deus não é uma muleta que temos para nossos momentos ruins. Ele penetra nossa vida e dá vida a tudo que somos e temos.

 

 

Deus cuida de tudo e de todos

 

 

Viver protegido pela rocha não é acomodação, mas uma atitude inteligente de vida. Jesus põe como modelo os passarinhos e as flores. Eles não precisam se preocupar com o alimento, nem com a beleza de sua roupa. Salomão não conseguiu tanta beleza com toda a riqueza que possuía. Ninguém aumenta uns metros de sua vida só por pensar na comida e na roupa. Notemos aqui que essas propostas são as tentações fundamentais da vida: pão, o poder e o prazer. O sentido da vida não está nas coisas de que necessitamos, mas na vida que colocamos em tudo que pensamos, fazemos e vivemos. A preocupação com o Reino exige de nós colocarmos em prática suas exigências, preocupando-nos apenas com o dia de hoje. Paulo diz que somos administradores dos mistérios de Deus (1Cor 4,1). Administramos Seu grande mistério de amor que comunicamos em nossas atitudes de serviço e amor.

 

 

O sentido da vida

 

Pelo fato de Deus cuidar de tudo e de todos, não é acomodação por preguiça ou por moleza. A proposta do evangelho nesse discurso da montanha é completa: “Buscai o Reino de Deus e sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo” (Mt 6,31). Por isso rezamos sempre no Pai Nosso:

 

 

“Venha a nós o vosso Reino”. Buscar o Reino de Deus é aceitar Jesus como opção fundamental e levar Seu Evangelho às últimas consequências. Se colocarmos os princípios do Evangelho em prática, teremos a beleza dos pássaros e das flores e saberemos viver até o último minuto com plenitude realizando nossa missão.

 

 

 

A Palavra de Deus vai nos ajudar a discernir sobre nossas atitudes, pois quem ouve a Palavra de Deus e a põe em prática é semelhante ao homem que construiu a casa sobre a Rocha. É inútil se fixar no que é passageiro. A celebração dominical sacia nossa sede e alimenta nossa fome de Deus. Nela aprendemos a acolher o Reino.

 

 

 

Leituras: Isaias 49,14-15; Salmo 61; 1ª Coríntios 4,1-15;Mateus 6,24-34

 

 

Ficha nº 1314 - Homilia do 8º domingo Comum (02.03.14)

 

 

Ensinando o Caminho da Vida Jesus se põe como a rocha. É nele que temos repouso. Deus é também Mãe, isto é, tem os sentimentos de uma mãe que não esquece o filho. Seu amor é total por cada um. É também ciumento. Ele cuida de nós e nós cuidemos de Sua presença e atenção.

 

 

Deus cuida dos pássaros e das flores. A preocupação com o comer e o vestir não aumenta nossa vida. A preocupação com a vida deve ser dar vida ao que fazemos. Somos administradores do mistério de Seu amor.

 

 

Não nos preocuparmos não significa preguiça, mas buscar o Reino de Deus e sua justiça que nos darão todas as outras coisas. Acolher o Reino é aceitar Jesus como opção fundamental. Assim teremos o alimento como os pássaros e a beleza como as flores. Deus será nossa segurança.

 

 

 

Dando uma de passarinho

 

Quer um jeito de não te faltar nada? Dá uma de passarinho.

 

 

Jesus ensina que devemos ter confiança em Deus como têm os passarinhos e as flores. Não lhes falta nada. Ele alimenta os pássaros e veste as flores. Ninguém se vestiu tão bem como eles. Nem Salomão. Além do mais conduz nossa vida, pois, por nós mesmos, não vamos um minuto adiante.

 

 

Deus é uma mãezona.

 

 

Como viver sem responsabilidade? Também não é assim de graça. Mas “basta buscar o Reino de Deus e sua justiça, e todas essas coisas vos serão dados por acréscimo” ... “Para cada dia basta seu cuidado”. Viver o momento presente é preparar o amanhã. Seguir Jesus vai ter tudo para todos. O Reino de Deus é suficiente para organizar a vida e o mundo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.