Por Eliane Dias Cassiano Em Artigos

Maria, rosto materno e ternura Deus

maria_rosto

Toda reflexão sobre Maria nos leva a falar de Deus. Na Mariologia a maternidade divina é princípio e medida de tudo¹. A Virgem Imaculada gerou o Cristo, fecundada pelo amor divino: amor criador que germina a vida. Para os teólogos, concebendo Jesus a Virgem tocou as raízes da divindade². Deus em sua infinita misericórdia quis enviar a Luz ao mundo e do ‘sim’ de Maria nasceu Jesus. É mãe do Deus-Filho, também de todas as criaturas e do corpo místico de Cristo. Em plena comunhão com Deus-Pai desde seu nascimento ela é a ‘cheia de graça’. Se cada santo nos mostra uma característica do semblante do Pai (PP. Francisco), Maria nos mostra não uma, mas várias. Ela recebeu em sua vida o máximo de graça que a um ser humano foi dado³. Assim, unida ao Espírito Santo, Maria revela o rosto materno e a ternura de Deus. A mãe que forma, ensina, cuida, nutre e une a família.

Deus, lembra o profeta Oséias, ensinava e guiava o povo a andar segurando-o nos braços: “eu que ensinei o meu povo a andar; eu o segurei nos meus braços” (Os 11,3). Nossa Senhora hoje nos ensina a andar guiando-nos por sua mão maternal, carregando-nos no colo em meio às provações e dúvidas. Sinal de segurança e esperança, ela nos encaminha para o encontro com o Criador. Mãe-protetora cuida de nós, povo de Deus, neste caminhar e protege a todos que se confiam ao seu amor maternal.lourdes_rosto

Como Mãe de Jesus, cabeça da Igreja, é também do corpo místico dele, ou Mãe da Igreja. Uma “Mãe–guerreira”, engajada no mistério da redenção da humanidade, sempre a serviço de Deus. Foi presença marcante não só na Igreja desde o princípio, como Lucas relata: 'Todos eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, entre elas Maria, mãe de Jesus, e os irmãos dele' (At 1,14). E através dos dois mil anos do Cristianismo Maria se mantém modelo de fé, peregrina conosco, mostrando que sua maternidade espiritual é decorrência do Creio.  Como numa família humana, formada e unida pela mãe, na Igreja ‘Maria é artífice da comunhão’ (Bento XVI). A Mãe da Igreja, nos torna conscientes de nosso parentesco, convoca a todos à imitação de Cristo e a estar sempre à escuta de Deus-Pai. Embora muitas vezes mostrem Nossa Senhora como inimitável, ela deveria ser mostrada como imitável.4

Num mundo tumultuado como o de hoje, Maria aparece como a ternura de Deus para o coração humano perdido e ferido; oferece-lhe sua presença e o calor de seu Filho, envolvendo-nos com Ele no seu seio materno. Mostra que Ele é o único que pode trazer a paz e a vida para toda a humanidade: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que lhe deu o seu Filho Unigênito” (Jo 3, 16). O amor de Deus nos nutre de força e esperança. Maria nos nutre deste amor com seu zelo maternal.

 

¹ Le Vrai Visage de Notre-DameMaria – Mãe e Educadora:Kentenich – 1980|³O pórtico de entrada do Salvador…Mons. Clá Dias – Revista Arautos do Evangelho –dez. 2014|4 (Novissima Verba)-Sta Tereza do Menino Jesus

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Eliane Dias Cassiano, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.