Por Rita de Sá Freire Em Artigos

Nossa Senhora Aparecida - Padroeira do Brasil

 

cerimonia_do_manto_de_junho_15_4_1

Nossa Senhora da Conceição Aparecida

Padroeira do Brasil

- 12 de Outubro -   

 Possui a Basílica na cidade de Aparecida do Norte

A história nos conta que nos idos de 1717, por ocasião da passagem pela região do governador da Capitania de São Paulo, Dom Pedro de Almeida – Conde de Assumar, e sua comitiva, foi solicitado aos pescadores que encontrassem nas águas do rio Paraíba do Sul a maior quantidade possível de peixes. Entre os pescadores estavam Domingos Martins Garcia, JoãoEncontro da Imagem de Aparecida Alves e Felipe Pedroso.

Lançaram suas redes várias vezes e não conseguiam pescar nada. Já estavam desanimados quando, de repente, na altura do Porto de Itaguaçu, percebem algo estranho na rede. Era o corpo de uma imagem feita de terracota. Em seguida, lançaram as redes novamente ao rio e acharam a cabeça que se encaixa direitinho no corpo da imagem. Após terem recolhido a imagem conseguiram grande quantidade de peixes e sentiram que o acontecido era um sinal dos céus. Os habitantes do lugar logo atribuíram o fato a um milagre da Virgem, que passaram a chamar Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Felipe Pedroso improvisou um altar em sua casa, no qual colocou a pequena imagem onde passaram a rezar o terço com toda a vizinhança. Em 1733, Felipe deu de presente a imagem a seu filho Atanásio Pedroso, que mandou construir um oratório. Logo depois, começaram a ocorrer prodígios extraordinários e a fama de Nossa Senhora Aparecida se espalhou. O número de peregrinos começou a aumentar de forma espetacular e a devoção se estendeu a todo o país.

O grito de independência 

O Brasil tornou-se independente sob a maternal proteção de Nossa Senhora Aparecida. D. Pedro, então Príncipe Regente, viajando do Rio de Janeiro para São Paulo, quis rezar diante da imagem da Aparecida. Prometeu-lhe consagrar o Brasil, caso resolvesse favoravelmente sua complicada situação política. Isto ocorreu no dia 22 de agosto de 1822. Quinze dias depois – a 7 de setembro, em São Paulo, na Colina do Ipiranga – nascia o Brasil independente, pelo brado histórico do Príncipe que se tornaria  o nosso primeiro Imperador com o nome de D. Pedro I.

 

conde_eu_princesa_isabel_filhos_1885

Princesa Isabel, seu marido Conde D'Eau e filhos

Princesa Isabel e Virgem Aparecida

 A festa da Aparecida no ano de 1868 – até então celebrada em 8 de dezembro, dia da Imaculada Conceição,– encerrou-se com brilho especial. Com efeito, a Princesa Isabel, herdeira do trono brasileiro, quis dela participar ao lado de seu marido, o Conde d'Eu, na esperança de obterem da Senhora Aparecida a graça de um herdeiro. Para manifestar sua devoção, a Princesa doou à venerada Imagem um manto riquíssimo, ornado com vinte e um brilhantes, representando as vinte Províncias do Império mais a Capital. Anos depois, em 1884, Dona Isabel voltava a Aparecida em reconhecimento pela graça recebida. Feliz, vinha acompanhada não só do esposo, mas dos três herdeiros, os Príncipes D. Pedro, D. Luís e D. Antonio. A piedosa Princesa quis novamente honrar a milagrosa imagem da Senhora Aparecida oferecendo-lhe dessa vez uma riquíssima coroa de ouro, cravejada de brilhantes. Essa mesma coroa serviu, vinte anos depois, para a solene coroação da Imagem, por ordem do Papa São Pio X.

 

Rainha e Padroeira do Brasil

Em 1903, os Bispos da Província Eclesiástica Meridional do Brasil, com vistas ao cinquentenário da proclamação do dogma da Imaculada Conceição, a transcorrer no ano seguinte, rogaram ao Santo Padre que mandasse coroar em seu nome a imagem de Nossa Senhora Aparecida.No dia 8 de setembro de 1904 reuniram-se em Aparecida oito Bispos e dois Abades, tendo à frente o Núncio Apostólico, D. Júlio Tonti, numerosos Sacerdotes e Freiras, autoridades civis e militares, além de uma grande multidão de fiéis procedentes dos mais recônditos rincões do território nacional. Após a Missa Solene celebrada pelo Núncio, o Bispo de Petrópolis, D. João B. Braga, proferiu vibrante sermão e leu a fórmula da Consagração do Brasil a Nossa Senhora Aparecida. O povo, de joelhos, ia repetindo. A seguir, o Bispo de São Paulo, D. José de Camargo Barros, cingiu a fronte da imagem com a coroa oferecida pela Princesa Isabel. Em 1930, atendendo ao sempre crescente aumento da devoção a Nossa Senhora Aparecida, e verificando as graças e favores insignes que Ela derramava sobre todo o País, o Papa Pio XI, a pedido dos Bispos brasileiros, a proclamou Padroeira do Brasil. Da capelinha improvisada, logo foi preciso outra maior, e depois outra, e hoje o Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida é a segunda maior igreja do mundo em área construída.

 

Devotos visitam sala das promessas no Santuário Nacional (foto: Valquiria Vieira)

As graças e milagres continuam          

A história de Aparecida tem o milagre na sua origem. Pinturas nas paredes da nave central da Basílica Velha representam de forma expressiva alguns dos primeiros milagres que se tomaram famosos. Essas graças e prodígios, entretanto, não cessaram com o correr do tempo. Maria Santíssima, de seu trono em Aparecida, continua ainda hoje a derramar sobre seus fiéis devotos chuvas de graças e bênçãos e a operar verdadeiros milagres.

 

A sacrílega profanação 

O Brasil se sentia tranquilo sob a proteção maternal da Senhora Aparecida. Talvez tranquilo demais, pois a decadência moral e religiosa dos últimos tempos –– que havia culminado com a introdução do divórcio em 1977 –– fazia temer que a Virgem Santíssima estivesse descontente com nosso País. Foi então que se deu um dos fatos mais graves de nossa História: no dia 16 de maio de 1978, durante a Missa vespertina, na Basílica Velha, um protestante fanático arrebatou de seu nicho a milagrosa imagem, jogando-a ao chão. Ela se partiu em mais de cento e sessenta fragmentos. A comoção em todo o Brasil foi enorme, e as pessoas piedosas procuraram oferecer atos de reparação por tamanha afronta à Padroeira, Nossa Senhora da Conceição Aparecida. A perfeita restauração da imagem foi mais um prodígio da Senhora Aparecida, desta vez pelas mãos de artistas e técnicos competentes. 

 

Advertência materna 

Maria Santíssima permitiu a quebra da milagrosa imagem da Aparecida para nos alertar, a fim de que abandonemos o estado de indiferentismo religioso em que se encontra imerso nosso povo; deixemos o uso das modas imorais, que tanto ofendem a Deus e contristam a Virgem toda pura; renunciemos à assistência de novelas e filmes imorais; combatamos os costumes que dissolvem nossa sociedade; enfim, restauremos em toda a sua força a verdadeira família cristã. Para tanto, impõe-se um reafervoramento confiante da terna e enlevada devoção Àquela que é a nossa Advogada clemente e cheia de doçura, a Senhora da Conceição Aparecida, Mãe de Deus e Mãe nossa. Ergamos, então, nossa súplica à excelsa Padroeira: Senhora Aparecida, salvai o Brasil!

 

Hoje peregrinos de todo o país e do exterior chegam aos milhares ao seu majestoso santuário em Aparecida, especialmente no mês de outubro, quando se celebra, no dia 12, a festa oficial da Rainha e Padroeira do Brasil. 

 

Rita de Sá Freire
Administradora do Apostolado "Nos Passos de Maria" 
www.nospassosdemaria.com.br

 

Padroeira do Brasil –
1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rita de Sá Freire, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.