Por Pe. Antonio Clayton Sant’Anna, C.Ss.R. Em Artigos Atualizada em 26 MAR 2019 - 13H35

Santificado seja o vosso nome! – (Série Pai Nosso)

santificado

Eis o primeiro e o mais urgente dos sete pedidos do Pai Nosso! Expressa um desejo de “aliança” íntima e social com Deus e enlaça os outros seis. A santidade é o atributo divino por excelência segundo a revelação bíblica, a reflexão teológica, a tradição, a doutrina constante da Igreja. Só Deus é santo! Seu povo escolhido deve viver o que Deus é: “Sede santos porque eu, Javé vosso Deus, sou santo” (Levítico 19,2). Atributo é a propriedade inerente ao ser divino acessível ao nosso conhecimento. Os atributos de Deus são predicativos que constituem sua essência (eterno, infinito, onipotente etc.), ou sua vontade (santidade, perfeição, justiça etc.). Aos atributos corresponde o atributo. Tributo nesse caso é o primeiro ato religioso de quem chega à aliança com a soberania de Deus (Antigo Testamento). “Tributai a Javé, ó famílias dos povos, glória e poder tributai a Javé, dai a Javé a glória devida ao seu nome.” (Salmo 96,7).

No Novo testamento o tributo ao nome (a pessoa) de Deus é a comunhão filial com o Pai (Abbá) através do Espírito de Cristo. A petição inicial do Pai Nosso explicita o maior desejo do filho vendo-se amado por um pai tão justo e bom como é Deus: que Ele seja conhecido, amado, adorado, louvado no mundo inteiro. “Nós vos louvamos, bendizemos, adoramos, glorificamos, damos graças por vossa imensa glória”. Logo: santificado seja o vosso nome! Deus se revelou em Jesus Cristo, o ungido, o consagrado, o santo, e também por ele nos comunicou o Espírito (o hálito) de sua vida. E ao mesmo tempo nos convida a propagar a todos aquilo que Ele é. o convite divino recebe a nossa adesão quando lhe dizemos: santificado seja o vosso nome, ó Pai querido! Ao rezar assim no mais íntimo de nós, mergulhamos no mistério de Deus e reconhecemosnossa profunda indigência espiritual perante Ele. O encontro com Jesus na fé personifica na sua condição filial; com ele ultrapassamos o abismo do nosso eu e nossa vida se enraíza “no nome” (no ser de Deus mesmo) e se torna missionária dele!

Nome, locução própria da língua judaica, substitui a pessoa, o próprio ser. Deus é o que seu nome realiza  em nós. Se Ele nos santifica é porque no seu ser está a fonte infinita de santidade. Se o Pai não for santificado (respeitado, honrado, glorificado) em nós e por nós (filhos) perante o mundo, não faremos visível para os outros a imagem e semelhança que Dele somos. Tudo na Igreja católica é feito em nome de Jesus Cristo. Isso é bíblico, é patrístico, é exegético, é teologal e devocional. Nele a glória de Deus quer refulgir em nós e encantar os outros na construção de um mundo digno, justo, abençoado e santificado. Por Ele lavados e santificados (1Cor 6,11), com ele e nele rezamos: no Pai Nosso participamos da relação íntima e pessoal de Jesus com um Deus que é Abbá (papai)!

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Antonio Clayton Sant’Anna, C.Ss.R., em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.