Por Academia Marial Em Catequese Atualizada em 02 OUT 2017 - 11H08

Copacabana, a praia da Virgem Negra

Copacabana, a praia da Virgem NegraTodo mundo conhece Copacabana, no Rio de Janeiro. O que é menos conhecido é que esta praia recebeu seu nome de uma pequena cidade boliviana, às margens do Lago Titicaca, onde se dedica um culto à Virgem Negra. Em 2 de fevereiro do ano de 1583, Tito Yupanqui, chegou à pequena cidade inca com uma estátua de madeira da Virgem Maria, que ele havia esculpido, após ter tido uma visão, em que marinheiros incas estavam sendo salvos por Nossa Senhora, durante terrível tempestade que se abateu sobre o lago Titicaca. Conhecida como a ‘”Virgem Negra” ou a “Virgem da Candelária” (Virgen de la Candelaria), a estátua de Copacabana é o objeto de um culto entre todas as comunidades indígenas sul-americanas.

Ela fazia milagres. Um deles deu origem à famosa praia do Rio de Janeiro. Em 1754, um marinheiro que navegava ao largo das costas brasileiras, viu-se tolhido, sob violenta tempestade, e implorou a Nossa Senhora de Copacabana que viesse em seu socorro. Salvo das ondas, ele consagrou uma capela à Virgem Santíssima, no local onde seria erguido um Forte (o atual Forte de Copacabana) num futuro próximo, junto à praia de Copacabana.

Desde 1925, a Virgem é, igualmente, a padroeira da Bolívia. Bolivianos assim como peruanos, chegam, em grande número, a Copacabana, para obter a bênção da “Virgem negra” exposta no interior da Catedral, no coro do altar.

Conheça a história de Nossa Senhora de Copacabana.

 

Jean-Philippe Damiani

Fonte: Um minuto com Maria

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Catequese

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.