Por Academia Marial Em Catequese Atualizada em 02 OUT 2017 - 11H13

Relação entre culto mariano e liturgia

Relação entre culto mariano e liturgiaO que é liturgia? A palavra vem da língua grega e significava: serviço em favor do povo. Serviço público. Na reflexão da teologia cristã significa o exercício do sacerdócio de Cristo em favor do povo resgatado por ele e reunido em seu amor, formando assim a Igreja ou assembléia dos fiéis. A vida toda de Cristo foi litúrgica. Foi culto ao Pai em espírito e verdade, a serviço do amor, da justiça, da fraternidade. Culto de obediência em íntima unidade de pensamento e ação. “Crede-me: eu estou no Pai e o Pai está em mim!” (João, 14,11). Jesus insiste e repisa a sua estreita ligação com o querer de Deus enquanto fonte da sua vida como serviço aos outros. “Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e levar a bom termo sua obra” (João, 4,34). Consciente da sua vocação e submisso ao projeto de Deus em salvar todos os homens, Jesus Cristo foi coerente em extrema fidelidade. A coerência da vida como culto ao Pai o levou ao sacrifício de si mesmo na cruz. Dessa auto entrega de Cristo originam-se o valor, o sentido, os méritos de todas as celebrações rituais comunitárias. Essa é a fonte litúrgica da Igreja. A sua razão de ser no mundo e na história está nisso: serviço santo! Ser sinal, instrumento e sacramento visível de unidade e salvação atualizando a ação de Cristo. Ora, se Cristo é a raiz da nossa liturgia por que introduzimos nela o culto a Maria?

 Todo o povo cristão é celebrante dos atos litúrgicos. Por força do batismo cada batizado é associado à mediação sacerdotal do Senhor. Ele é o sumo sacerdote, único e necessário. Nas celebrações litúrgicas aprovadas pela Igreja, Cristo atualiza e aplica a nós a graça libertadora da sua vitória sobre o pecado, o poder de sua ressurreição. Desde seus primeiros tempos e apoiada nos Evangelhos a Igreja acolheu e venerou Nossa Senhora também com fé litúrgica. Hoje, no mundo inteiro celebram-se quatro missas solenes em louvor a ela durante o ano: em 1º de janeiro, Santa Maria Mãe de Deus; em 25 de março, a Anunciação; em 15 de agosto, a Assunção; em 08 de dezembro, a Imaculada Conceição. E são ao menos 16 as missas das festas marianas universais, como a da Natividade de Maria. Sem falar das diocesanas, paroquiais e locais com os títulos de padroeira, como Nossa Senhora Aparecida, no Brasil. O Missal Romano traz 46 missas votivas em sua honra.

 A liturgia é a fonte da vida cristã. Nela, a graça de Deus vem a nós por Cristo e nos santifica. Amados em Cristo recebemos seu Espírito que gera em toda a Igreja a comunhão dos santos e nas coisas santas. Não sendo de rotina ou meros ritos sociais, os atos litúrgicos nos unem um por todos e todos por um na contemplação do mistério de Cristo. Maria viveu intimamente esse mistério porque dele foi parte. Ela pode nos ajudar a celebrar santamente a vida cristã na sagrada liturgia na comunidade, pois é toda cheia de Deus e tão próxima de nós!

                                                                                                 Pe. Antonio Clayton Sant’Anna – C.Ss.R. 

 Diretor da Academia Marial de Aparecida       

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Catequese

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.